sicnot

Perfil

Mundo

Criado sensor que deteta vírus infeciosos em cinco minutos

O gigante tecnológico japonês Toshiba e a Universidade de Osaka desenvolveram um sensor que deteta vírus infeciosos em cinco minutos, mais ou menos 1% do tempo requerido pelos métodos que existem atualmente.

© Edgar Su / Reuters

Este novo sensor reconhece as formas dos vírus em poucos minutos, um feito que com os métodos existentes exige o recurso à ampliação dos genes, um processo que demora cerca de oito horas, informa hoje o diário económico Nikkei.

A instituição de ensino e a empresa, que se encontra imersa num processo de venda da sua filial de equipamentos médicos Toshiba Medical Systems, planeiam lançar um dispositivo de diagnóstico baseado nesta nova tecnologia em 2020.

Apesar de não estar ainda claro quem irá oferecer os produtos relacionados com esta tecnologia -- se a própria Toshiba ou o seu comprador, entre os quais a Canon parte como favorita --, a Toshiba anunciou que vai fabricar o chip que forma o núcleo.

Um diagnóstico mais rápido não só previne o aparecimento de sintomas severos no paciente, mas também contribui para reduzir a probabilidade de contágio.

Por isso, outras empresas japonesas também trabalham no desenvolvimento de tecnologias mais eficientes de diagnóstico.

É o caso da Konica Minolta que, com o Instituto Metropolitano de Medicina de Tóquio, concebeu um sistema de deteção do vírus da gripe alterando a tecnologia usada para os testes rápidos de gravidez.

O sistema, que usa um chip com um pigmento fluorescente de alto rendimento, pode ser utilizado também para detetar doenças transmitidas por mosquitos, como zika ou dengue.

Os atuais sistemas de deteção demoram entre um e dois dias desde o aparecimento dos sintomas, enquanto o novo reduz o tempo a 12 horas ou menos.

A empresa e instituição trabalham para poder comercializar o sistema em 2017, o qual chegaria sob a forma de um 'kit' com um custo na ordem dos 1.000 ienes (oito euros), detalhou o diário económico.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.