sicnot

Perfil

Mundo

Irão assegura que testes de mísseis servem apenas de defesa

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif, afirmou hoje que os recentes testes de mísseis não violam o acordo sobre o nuclear firmado com a comunidade internacional, servindo apenas para Teerão se defender de eventuais ataques.

Javad Zarif, ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano.

Javad Zarif, ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano.

Reuters

"O Irão não utilizará nenhum meio para atacar nenhum país, incluindo os nossos mísseis. São para nossa defesa", afirmou o chefe da diplomacia iraniana, ao lado da sua homóloga australiana, Julie Bishop, numa conferência de imprensa em Camberra transmitida na televisão.

Zarif assegurou que os testes com mísseis não violam a resolução 2231, com a qual o Conselho de Segurança da ONU ratificou o acordo sobre o nuclear entre o Irão e as potências do grupo 5+1 (Estados, Rússia, França, Reino Unido, China e Alemanha) e levantou a maior parte das sanções que pesavam sobre o país.

"Estes mísseis nem sequer caem dentro do âmbito da 2231 e não são ilegais", frisou.

O Conselho de Segurança da ONU discutiu, esta segunda-feira, à porta fechada, os testes realizados pelo Irão no início do mês, numa reunião convocada pelos Estados Unidos, que consideraram os ensaios "perigosos" e não descartaram a possibilidade de aprovar sanções unilateralmente contra Teerão.

Zarif encontra-se na Austrália, onde se reuniu com o primeiro-ministro, Malcom Turnbull, e outros altos funcionários, no âmbito de uma visita que já o levou à Nova Zelândia, Tailândia, Singapura, Brunei e Indonésia.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".