sicnot

Perfil

Mundo

Rússia inicia retirada de equipamento militar da Síria

A Rússia iniciou a retirada de equipamento militar da Síria, depois de ter anunciado, na segunda-feira, a saída das suas forças daquele país, revelou hoje o Ministério da Defesa russo.

Imagem fornecida pelo Ministério da Defesa russo de um ataque contra uma "posição terrorista" em Aleppo, a 21 de outubro.

Imagem fornecida pelo Ministério da Defesa russo de um ataque contra uma "posição terrorista" em Aleppo, a 21 de outubro.

RUSSIAN DEFENCE MINISTRY PRESS SERVICE / HANDOUT

"Os técnicos começaram a preparar as aeronaves para voos de longo curso para as bases aéreas na Federação Russa", informou o Ministério da Defesa russo em comunicado, acrescentando que o pessoal militar estava a carregar o equipamento e material para os aviões.

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou na segunda-feira ao Ministério da Defesa para iniciar hoje a retirada das forças russas da Síria.

A Presidência russa indicou que o chefe de Estado sírio, Bashar al-Assad, concordou com a decisão de Putin.

"A tarefa que tinha sido solicitada ao nosso Ministério da Defesa e às nossas forças armadas foi globalmente conseguida e assim ordenei ao ministério para iniciar a partir da manhã [terça-feira] a retirada da maior parte dos nossos contingentes militares na República Árabe da Síria", afirmou Putin, dirigindo-se ao ministro da Defesa russo, Serguei Choigu, durante uma intervenção transmitida pela televisão.

A intervenção das forças aéreas russas na Síria teve início a 30 de setembro de 2015 e foi feita a pedido de Bashar al-Assad no âmbito da luta contra o terrorismo naquele país.

Moscovo vai, no entanto, manter uma presença aérea no território sírio para supervisionar a aplicação do cessar-fogo, que entrou formalmente em vigor no passado dia 26 de fevereiro, segundo indicou a Presidência russa.

Lusa

  • Rússia anuncia retirada da Síria
    1:16

    Mundo

    Vladimir Putin surpreendeu esta segunda-feira o mundo ao anunciar a retirada da maior parte das forças russas da Síria.Num conflito com inúmeras frentes, o futuro de Bashar Al Assad permanece uma incógnita. Moscovo assegura que a retirada foi coordenada com o presidente Sírio, mas um porta-voz do Kremlin diz que a continuidade de Assad na presidência não foi discutida.

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.