sicnot

Perfil

Mundo

Clinton e Trump confirmam favoritismo na segunda Super Terça-Feira

Clinton e Trump confirmam favoritismo na segunda Super Terça-Feira

O republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton venceram a maioria das primárias das presidenciais norte-americanas que decorreram na terça-feira, incluindo a Florida, considerado um estado estratégico. No rescaldo de mais uma "Super Terça-feira", o republicano Marco Rubio abandonou a corrida à Casa Branca.

Conhecidos os resultados, Trump e Hillary Clinton confirmaram o favoritismo.

Clinton venceu em todos os estados que foram a votos terça-feira: Florida, Illinois, Carolina do Norte, Ohio e Missouri.

Trump venceu na Florida, Illinois, Carolina do Norte, Missouri e nas Ilhas Marianas do Norte. John Kasich venceu no Ohio, estado de onde é natural.

Durante as primárias, são eleitos delegados às convenções nacionais do Partido Republicano e do Partido Democrata que, por sua vez, nomearão os candidatos de cada uma das forças políticas às eleições presidenciais dos EUA, que decorrerão em novembro.

Com Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.