sicnot

Perfil

Mundo

Condenado responsável pela divulgação de fotos pirateadas de celebridades nuas

Procuradores do Ministério Público norte-americano anunciaram esta quarta-feira a primeira condenação criminal no caso ocorrido em 2014 de pirataria de fotografias privadas de celebridades de Hollywood, que resultou na divulgação na internet de centenas de imagens contendo nudez.

1. Jennifer Lawrence

1. Jennifer Lawrence

reuters

Em Los Angeles, as autoridades indicaram na terça-feira que Ryan Collins, de 36 anos, natural da Pensilvânia, tinha concordado em apresentar-se como culpado de acusações de "hacking" (piratear) no âmbito da investigação "Celebgate".

Segundo responsáveis judiciais, Collins admitiu a existência de um esquema de "phishing" para obter fraudulentamente as palavras-passe de mais de cem pessoas, muitas delas estrelas de cinema, e depois usá-las para obter fotos delas nuas nas suas contas na "cloud", um espaço de armazenamento de dados virtual acessível pela Internet.

Não há ainda provas de que Collins tenha publicado as fotos online, e a investigação prossegue, indicaram as autoridades.

O golpe de 2014 resultou na divulgação de centenas de fotos de nus, incluindo as de modelos e atrizes como Jennifer Lawrence e Kate Upton, o que provocou espanto e indignação em Hollywood.

A procuradoria-geral da República disse que Collins acedeu a pelo menos 50 contas iCloud e 72 contas de Gmail, a maioria das quais pertencente a celebridades do sexo feminino.

"Atualmente, as pessoas armazenam informação privada importante nas suas contas online e nos seus aparelhos digitais", afirmou a delegada do ministério público Eileen Decker.

"Acesso não autorizado, em violação da lei, a tais informações privadas é crime. O ministério público continua empenhado em proteger informação pessoal e sensível das ações maldosas de hackers sofisticados e ciber-criminosos", sustentou.

Nos termos do acordo de admissão de culpa, Collins usou entre novembro de 2012 e setembro de 2014 um esquema em que enviava e-mails às vítimas que pareciam ser da Apple ou da Google e pedia-lhes que fornecessem os seus nomes de utilizador e palavras-passe.

Isto permitiu-lhe aceder a informação dessas contas, incluindo a fotografias guardadas na cloud. Em alguns casos, Collins usou um programa de software para descarregar todo o conteúdo do 'backup' das vítimas na Apple iCloud.

O ministério público indicou que o acordo, que deve ainda ser aprovado por um juiz, pede uma pena de 18 meses de prisão efetiva para o arguido. Ao abrigo do acordo, o caso deverá ser transferido da Pensilvânia para a Califórnia.

Lusa

  • Quando se confunde o pedal do travão com o acelerador
    0:38

    Mundo

    Na China, chegam imagens de um acidente fora do normal. Um homem parou o carro e saiu para cumprimentar um amigo. Enquanto conversavam, a viatura começou a descair lentamente. O condutor correu de imediato para o carro. Com as mãos já no volante, tentou evitar o pior mas em vez de carregar no travão, carregou no acelerador.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.