sicnot

Perfil

Mundo

Dilma confirma escolha de Lula da Silva para o governo

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, confirmou ao início da tarde que escolheu o ex-Presidente Lula da Silva para ministro-chefe da Casa Civil, cargo até agora ocupado por Jaques Wagner.

© Ueslei Marcelino / Reuters

A notícia tinha sido avançada durante a manhã pelo líder do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara dos Deputados, Afonso Florence, citado pela imprensa, e pelo deputado José Guimarães, do PT, na rede social Twitter, mas faltava a confirmação oficial.

Ao entrar para o Governo, o ex-Presidente, que é investigado no âmbito da Operação Lava Jato, sobre um esquema de corrupção em várias empresas, incluindo a petrolífera Petrobras, passa a ter direito a foro privilegiado, podendo apenas ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal.

A escolha do antigo chefe de Estado para um dos mais altos cargos no país é também visto como uma manobra política, numa altura em que a Presidente Dilma Rousseff arrisca um processo de impugnação.

Em comunicado, a governante deu ainda conta que o deputado Mauro Ribeiro Lopes assumirá "o cargo de ministro de Estado chefe da Secretaria de Aviação Civil".

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.