sicnot

Perfil

Mundo

Oposição diz que nomeação de Lula revela "imoralidade" e "desespero"

O presidente do Partido Popular Socialista (PPS), Roberto Freire, qualificou hoje como um sinal de "imoralidade" e de "desespero" o facto de o Governo brasileiro ter nomeado o ex-Presidente Lula da Silva para ministro da Casa Civil.

O ex-Presidente brasileiro Lula da Silva aceitou hoje integrar o executivo de Dilma Rousseff, assumindo a pasta da Casa Civil, segundo o líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, Afonso Florence, citado pela imprensa, e informações do deputado José Guimarães, do PT, divulgadas na rede social Twitter.

Contactada pela Lusa, a presidência brasileira não confirmou a informação.

"Infelizmente, a República brasileira tem um Governo que é usado para criar obstáculos à investigação da justiça do nosso país", disse Roberto Freire, em declarações à agência Lusa.

Para o deputado, a Presidente "está a utilizar o seu Governo para garantir a Lula, que está a ser investigado pela Justiça Federal brasileira, um foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal", o que constitui "uma imoralidade".

Ao entrar para o Governo, o ex-Presidente, que é investigado no âmbito da Operação Lava Jato, sobre um esquema de corrupção em várias empresas, incluindo a petrolífera Petrobras, passa a ter direito a foro privilegiado, podendo apenas ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal.

Roberto Freire adiantou à Lusa que o seu partido, que conta com 10 assentos na Câmara dos Deputados, está a discutir com os demais partidos da oposição o que poderá ser feito a nível judicial para impedir esta nomeação, porque, considerou, há indícios de ilegalidade, dado que se trata de um "desvio de função" para "impedir a investigação ou até obstruir a justiça".

"É como se uma autoridade qualquer transferisse de uma jurisdição para outra um polícia que está a ser investigado por algum crime cometido. Isso concretamente significa atropelar o exercício da investigação da justiça", explicou.

Do ponto de vista político, Roberto Freire avaliou que "o desespero tomou conta do Governo Dilma Rousseff, de Lula da Silva e do PT [Partido dos Trabalhadores]", partido que apoia ambos, e falou numa "tremenda roubalheira que assaltou o Governo", sendo o exemplo maior o "petrolão", o escândalo de desvio de dinheiro da Petrobras.

Lusa

  • "Não partilhei SMS com ninguém"
    0:43

    Caso CGD

    António Domingues afirma que nunca revelou o conteúdo das mensagens trocadas com o ministro das Finanças sobre a entrega das declarações de património ao Tribunal Constitucional. O tema dos SMS foi abordado pelo ex-presidente da Caixa na sequência de uma pergunta do PCP sobre declarações feitas por António lobo Xavier no programa da SIC Notícias "Quadratura do Círculo".

  • "As regras europeias de bem estar animal são dogmas", diz diretor-geral de Veterinária
    1:32

    País

    O diretor-geral de Alimentação e Veterinária considera que as regras de bem estar animal que existem na União Europeia (UE) "parecem configurar uma transfiguração antropomórfica dos animais". Em declarações à SIC, a propósito da exportação de animais vivos para países terceiros, que têm outras regras de abate, Fernando Bernardo defendeu ainda que o método usado em Israel provoca uma insensibilização mais rápida do que o praticada na UE.

  • PAN questiona Governo sobre aposta na exportação de animais vivos para o Médio Oriente
    1:56

    País

    O partido Pessoas-Animais-Natureza lembra que à luz do Regulamento nº. 1/2005 do Conselho Europeu, os estados-membros da União Europeia (UE) devem evitar transportar animais vivos em viagens de longo curso. O deputado André Silva considera, por isso, que "o Estado português está a incumprir o regulamento" ao fomentar estas viagens, numa clara aposta económica em torno da exportação de animais vivos para Israel e outros destinos fora da UE. Para o deputado do PAN, é muito difícil ou "mesmo impossível assegurar o bem estar dos animais" em viagens de vários dias.

  • Trump pensou que presidência "seria mais fácil"

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos Donald Trump afirmou que a Presidência é mais difícil do que pensava e que tem saudades da vida que levava antes, em entrevistas a propósito dos primeiros 100 dias em funções.