sicnot

Perfil

Mundo

Setores público e privado venezuelanos param para poupar eletricidade e água

Os setores público e privado venezuelanos paralisam as atividades entre os dias 19 e 27 de março, para reduzir o consumo de eletricidade e água no país, afetado por uma forte seca provocada pelo fenómeno meteorológico "El Niño".

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

A paralisação das atividades está prevista no decreto assinado pelo Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e divulgado hoje.

No passado dia 12, Nicolás Maduro, anunciou que iria promulgar um Decreto Especial de Emergência devido ao "El Niño".

"Tomei a decisão (devido à emergência) de declarar toda a Semana Santa, desde o sábado, 19 de março, até ao domingo de ressurreição, 27 de março, como dias feriados não laboráveis para todos os trabalhadores públicos do país e para toda a educação nacional, para todos os estudantes de liceus e universidades", disse no final de uma marcha de apoio ao seu regime, em Caracas.

Segundo Nicolás Maduro o decreto foi concebido para garantir a estabilidade da população relativamente aos efeitos climáticos de El Niño.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28