sicnot

Perfil

Mundo

Trump prevê motins se republicanos não o escolherem como candidato presidencial

O candidato à nomeação presidencial republicana Donald Trump previu hoje a ocorrência de "motins", se não for o escolhido pelo partido, perante o crescendo da oposição nas suas fileiras à sua escolha.

Donald Trump lidera as primárias entre os candidatos republicanos.

Donald Trump lidera as primárias entre os candidatos republicanos.

"Penso que vai haver motins. Eu represento um número enorme (...) milhões de pessoas", declarou o multimilionário à estação de televisão CNN, estimando que deveria ser investido mesmo se lhe faltarem alguns delegados para a maioria absoluta (1.237) requerida pelo regulamento do partido.

Os eleitores que votam Trump são "pessoas que nunca votaram, que não acreditam no sistema ou não gostam dos candidatos, etc." e "se você privar estas pessoas do seu direito de voto e lhes disser 'lamento, mas faltam-vos 100 votos', quando faltam 500 ao candidato seguinte, você vai ter problemas", argumentou Trump.

Donald Trump lidera largamente a corrida à investidura republicana, mas o seu populismo perturba no seio do partido, com alguns a evocarem cenários alternativos para o afastar, inclusive com a mudança da regra do jogo.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.