sicnot

Perfil

Mundo

Trump prevê motins se republicanos não o escolherem como candidato presidencial

O candidato à nomeação presidencial republicana Donald Trump previu hoje a ocorrência de "motins", se não for o escolhido pelo partido, perante o crescendo da oposição nas suas fileiras à sua escolha.

Donald Trump lidera as primárias entre os candidatos republicanos.

Donald Trump lidera as primárias entre os candidatos republicanos.

"Penso que vai haver motins. Eu represento um número enorme (...) milhões de pessoas", declarou o multimilionário à estação de televisão CNN, estimando que deveria ser investido mesmo se lhe faltarem alguns delegados para a maioria absoluta (1.237) requerida pelo regulamento do partido.

Os eleitores que votam Trump são "pessoas que nunca votaram, que não acreditam no sistema ou não gostam dos candidatos, etc." e "se você privar estas pessoas do seu direito de voto e lhes disser 'lamento, mas faltam-vos 100 votos', quando faltam 500 ao candidato seguinte, você vai ter problemas", argumentou Trump.

Donald Trump lidera largamente a corrida à investidura republicana, mas o seu populismo perturba no seio do partido, com alguns a evocarem cenários alternativos para o afastar, inclusive com a mudança da regra do jogo.

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.