sicnot

Perfil

Mundo

Ex-espião alemão condenado a 8 anos de prisão por alta traição

Um ex-agente dos serviços secretos alemães foi hoje condenado a oito anos de prisão por alta traição por ter colaborado com os Estados Unidos e a Rússia, noticiaram vários media alemães.

© Michael Dalder / Reuters

Markus Reichel, de 32 anos, foi também considerado culpado de violação do segredo das informações e corrupção pelo tribunal regional de Munique (sul), que decidiu uma pena inferior aos dez anos de prisão pedidos pelo ministério público.

Reichel admitiu ter entregado documentos à CIA por 95 mil euros. O ex-agente alemão também forneceu três documentos aos serviços de espionagem russos.

Admitido no BND (serviços de informações alemães) em dezembro de 2007, onde ganhava 1.200 euros líquidos por mês, Reichel transmitiu, entre maio de 2008 e meados de 2014, mais de 200 documentos à CIA. Em troca, o ex-agente recebeu pelo menos 95 mil euros, pagos na Áustria.

Os documentos vendidos à CIA incluiam informações sobre as atividades do BND e identidade de funcionários responsáveis pelos arquivos, serviço onde trabalhava.

Reichel foi também acusado de ter entregado, durante 2014, três documentos ao consulado russo de Munique para um serviço de informações russo.

A detenção a 02 de julho de 2014 decorreu quando foram divulgadas as escutas feitas pelos serviços secretos norte-americanos a um telemóvel da chanceler alemã, Angela Merkel. Pouco depois, Berlim expulsou o chefe da CIA na Alemanha.

Lusa

  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Al Gore e Garry Kasparov vão estar na Web Summit

    Web Summit

    Al Gore, antigo vice-Presidente dos Estados Unidos da América, Garry Kasparov, lendário jogador de xadrez, e Steve Huffman, o dirigente e cofundador da rede social Reddit são os novos nomes anunciados para a 2.ª Web Summit em Lisboa.

  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.