sicnot

Perfil

Mundo

Governo português lamenta apropriação de terras por Israel na Cisjordânia

O Governo português lamentou este sábado a decisão das autoridades israelitas de expropriar 234 hectares de terra localizados na Cisjordânia, considerando que se trata de "mais um obstáculo" à estabilidade da região.

© Ammar Awad / Reuters

"Esta medida constitui mais um obstáculo à viabilidade da solução dos dois Estados, que é a única via para a paz, segurança e estabilidade da região", refere a nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros português hoje divulgada.

O Governo português apela assim ao congénere israelita para reconsiderar esta decisão e reitera a necessidade de ambas as partes, autoridades israelitas e palestinianas, voltarem à mesa das negociações.

Manifesta ainda a sua preocupação com a evolução da situação no terreno e "condena firmemente todos os ataques, bem como qualquer incitamento à violência".

Na terça-feira, Israel confirmou ter tomado posse de 234 hectares de terras em Jericó, na Cisjordânia, um território palestiniano ocupado.

A Organização para a Libertação da Palestina já condenou a atitude israelita, considerando que esta apropriação "é coerente com o plano de impor um regime de 'apartheid' na Palestina ocupada".

Lusa

  • "Miúdos de 5 e 6 anos a perguntar: a minha casa ardeu, o meu pai está queimado?"
    4:55
  • Presidente visita zonas afetadas pelos fogos
    2:00

    País

    Numa visita inesperada, o Presidente da República esteve esta manhã em Vouzela, um dos concelhos mais atingidos pelos incêndios. Marcelo Rebelo de Sousa vai estar nos próximos dias no distrito de Viseu.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.