sicnot

Perfil

Mundo

Dissidentes cubanos apelam a Obama para que ajude o país a mudar radicalmente

Dissidentes Cubanos apelaram ao presidente norte-americano, Barack Obama, para que convença o governo cubano a parar com a repressão e que este inicie uma "mudança radical" com a visita a Havana que começa hoje.

© Alexandre Meneghini / Reuters

Ativistas na ilha, que tem estado debaixo do controlo do Partido Comunista há mais de cinco décadas, deram as boas vindas à visita de Obama, a primeira de um presidente norte-americano em 88 anos.

"É uma oportunidade para a classe política do governo cubano entender que já não há mais lugar para a filosofia em que cada dissidente era classificado de traidor", afirmaram no sábado em comunicado.

Os dissidentes apelaram ao presidente Obama para promover a mudança, nomeadamente o fim da repressão e do uso de violência física contra todos os ativistas dos direitos humanos.

Obama deve encontrar-se com alguns representantes de dissidentes na terça-feira, embora o governo cubano já tenha afirmado que a discussão de políticas internas está "fora da mesa".

Lusa

  • Infarmed muda-se para o Porto

    País

    A sede da Autoridade Nacional do Medicamento vai ser deslocalizada de Lisboa para o Porto. O anúncio acontece um dia depois da Cidade Invicta ter sido eliminada da corrida para acolher a nova sede da Agência Europeia do Medicamento.

  • Racionamento da água é medida de último recurso
    2:35
  • "Estamos Vivos": o processo de reabilitação depois dos incêndios
    1:22
  • Juiz deixa suspeito de violação em liberdade
    2:42