sicnot

Perfil

Mundo

Osso de urso revela que a vida humana na Irlanda começou antes do que se julgava

Análises a um osso de urso descoberto numa cave irlandesa forneceu elementos que provam a existência humana na Irlanda 2.500 anos mais cedo do que se pensava, anunciaram hoje académicos.

© Clodagh Kilcoyne / Reuters

Durante décadas, as primeiras evidências da vida humana na Irlanda datava de 8.000 antes de Cristo.

Mas a datação por radiocarbono do osso do joelho de um urso veio revelar que este foi massacrado por um humano cerca de 10.500 antes de Cristo.

"Esta descoberta acrescenta um novo capítulo à história humana da Irlanda", disse Marion Dowd, um arqueólogo do Instituto de Tecnologia de Sligo que fez a descoberta, juntamente com Ruth Carden, em associação com o Museu Nacional da Irlanda.

O osso do joelho, que está marcado com cortes de uma ferramenta afiada, foi um dos milhares de ossos descobertos em 1903 numa cave em County Clare, na costa oeste na Irlanda.

Este achado esteve guardado no Museu Nacional da Irlanda desde 1920, até Marion Dowd e County Clare o reexaminar e solicitar fundos para a aplicação do radiocarbono, uma técnica desenvolvida nos anos 40 pela Queen's University Belfast.

A equipa enviou uma segunda amostra para a Universidade de Oxford para o resultado ser novamente verificado e ambos os testes indicaram que o urso foi cortado por um humano há 12.500 anos.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras