sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia recorda "preocupações" de direitos humanos nos EUA, Cuba e Argentina

A Amnistia Internacional aproveitou "a histórica visita" do Presidente dos Estados Unidos a Cuba e à Argentina para relembrar as suas "preocupações", em matéria de direitos humanos, nos três países americanos.

© Carlos Barria / Reuters

Em carta aberta aos líderes dos três países -- Barack Obama (EUA), Raúl Castro (Cuba) e Mauricio Macri (Argentina) --, a Amnistia reconhece que a visita do Presidente dos EUA "é uma oportunidade de ouro para tentar resolver" alguns problemas e insta os três líderes a darem "prioridade" aos direitos humanos.

A organização internacional de defesa e promoção dos direitos humanos começa por apontar o dedo aos Estados Unidos, recordando que a prisão de Guantánamo, que Obama prometeu fechar, mantém-se em funcionamento.

"O facto de que ali continuam dezenas de detidos, seis anos depois do prazo fixado pelo Presidente Obama para o fecho do centro, representa um grande motivo de preocupação internacional", assinala a organização.

A Amnistia está também preocupada com o tratamento dado a migrantes e refugiados. "Quase 40 mil menores desacompanhados e 40 mil famílias foram detidos ao cruzarem a fronteira sul dos Estados Unidos, em 2015, muitas vezes em fuga da violência e da insegurança em El Salvador, Honduras, Guatemala e México", denuncia, criticando as condições dos centros de acolhimento dos EUA.

Também alvo de críticas é o embargo económico dos EUA a Cuba, que, por sua vez, é referida pelas "restrições à liberdade de expressão, associação e reunião", bem como pelas "detenções arbitrárias".

A organização reivindica ainda o acesso das organizações internacionais à ilha, vedado "há décadas", recordando que Cuba é o único país das Américas no qual a Amnistia não está autorizada a entrar.

Na Argentina, a Amnistia destaca o "progresso substancial" das investigações às violações de direitos humanos cometidas durante a ditadura militar imposta com o golpe de Estado de 1976, mas recorda que "persistem desafios".

Por outro lado, os povos indígenas continuam a ser "tratados como cidadãos de segunda classe", critica.

Cerca de oito meses depois de Washington e Havana terem anunciado o restabelecimento de relações diplomáticas, Obama torna-se no primeiro chefe de Estado dos EUA, em funções, a pisar solo cubano desde a revolução castrista de 1959.

Obama e a família chegaram à ilha caribenha no domingo à tarde e ficam até terça-feira, seguindo depois para a Argentina.

Lusa

  • Cuba e EUA de costas voltadas mais de 50 anos
    1:50

    Mundo

    A visita de Obama a Cuba é mais um passo para restabelecer de forma definitiva as relações com os Estados Unidos. Os dois países estiveram de costas voltadas durante mais de 50 anos e há quase nove décadas que um chefe de Estado norte-americano não aterrava em Havana.

  • Marcha pelos direitos humanos à chegada de Obama a Cuba
    1:55

    Mundo

    Poucas horas antes da chegada de Barak Obama a Havana, começaram hoje a ser libertados alguns dos 60 dissidentes cubanos. Entre os detidos estão dirigentes do movimento Mulheres de Branco que exigem a libertação de todos os presos políticos cubanos.

  • Obama numa conversa telefónica com humorista cubano
    1:32

    Mundo

    Barack Obama voltou a surpreender ao aparecer num vídeo divertido com um humorista cubano. Numa conversa telefónica entre os dois, o Presidente dos Estados Unidos diz que os dois países são um povo amigo. Barack Obama encontra-se neste momento em Cuba na primeira visita de um presidente norte-americano à ilha em 88 anos.

  • Obama em Havana
    2:08

    Mundo

    Momento histórico, hoje, em Cuba. Barack Obama e Raul Castro vão estar reunidos na primeira visita de um Presidente norte-americano à ilha em 88 anos. Obama chegou ontem a Havana onde já afirmou estar no país para criar novos laços políticos e comerciais.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.