sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte lança quatro mísseis de curto alcance

A Coreia do Norte voltou a desafiar a comunidade internacional, ao disparar pelo menos quatro misseis de curto alcance. A ação desta madrugada foi confirmada pelas autoridades da Coreia do Sul, que dizem que os projécteis caíram no mar, ao largo da costa leste da península.

Arquivo

Arquivo

© Jason Lee / Reuters

Um representante do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas sul-coreanas indicou que os projéteis foram lançados a partir de uma zona perto da cidade de Hamhung, pelas 15:20 (06:20 em Lisboa), tendo caído no Mar do Leste (Mar do Japão). O tipo de míssil não foi especificado.

As tensões militares na península coreana têm vindo a agravar-se desde que o Norte realizou o seu quarto teste nuclear a 06 de janeiro, seguido de o lançamento de um 'rocket' de longo alcance, um mês depois, encarado pela comunidade internacional como um teste de míssil balístico.

O Conselho de Segurança da ONU respondeu a estas ações no início do mês, impondo as mais duras sanções à Coreia do Norte até à data.

Nas últimas semanas, Pyongyang tem feito ameaças quase diárias de ataques nucleares contra Seul e Washington, como reação aos exercícios militares conjuntos dos dois países, que o Norte entende como ensaios para uma invasão.

Na passada sexta-feira, Pyongyang testou dois mísseis de médio alcance, seguindo indicações de Kim Jong-un, que ordenou a preparação de uma série de lançamentos de mísseis, bem como um teste de explosão de uma ogiva nuclear.

O Conselho de Segurança da ONU condenou os lançamentos, considerando-os "inaceitáveis" e uma clara violação das resoluções da ONU.

Última atualização às 9:16 / Com Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.