sicnot

Perfil

Mundo

Candidato norte-americano Donald Trump defende vigilância

O pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump afirmou hoje que os Estados Unidos devem estar alerta e "ser inteligentes" após os atentados de Bruxelas, que fizeram pelo menos 34 mortos e 187 feridos.

Candidato presidencial norte-americano, Donald Trump.

Candidato presidencial norte-americano, Donald Trump.

© Jim Bourg / Reuters

"Lembram-se todos de quão bonita e segura era Bruxelas? Já não é. É de um mundo diferente! Os EUA têm de estar vigilantes e inteligentes!", escreveu o magnata norte-americano na sua conta do Twitter.

Em declarações à cadeia NBC, o aspirante a candidato a presidente dos EUA classificou Bruxelas como "uma cidade desastre" onde falhou a assimilação e defendeu que os Estados Unidos deviam fechar as suas fronteiras "até se perceber o que se passa".

"A Bélgica já não é a Bélgica. A Bélgica não é a Bélgica que ambos conhecemos há 20 anos, que era uma das cidades [sic] mais bonitas e seguras do mundo", disse Trump.

"A Bélgica é um espetáculo de horrores agora. Estão a acontecer coisas terríveis. As pessoas estão a sair. As pessoas estão com medo. Tudo isto aconteceu porque, francamente, não há assimilação".

Questionado sobre o que diria ao povo americano imediatamente após um ataque terrorista, Trump afirmou: "Vamos ser muito vigilantes e duros. Não vamos permitir que isto aconteça ao nosso país".

"Se acontecer, vamos encontrar os responsáveis e eles vão sofrer muito".

À Fox News, Trump, que tem defendido a proibição da entrada de muçulmanos nos EUA, disse que hoje Bruxelas é "uma cidade desastre. Um desastre total".

Os atentados de hoje no aeroporto e no metro de Bruxelas fizeram pelo menos 34 mortos e 187 feridos, segundo um novo balanço provisório das autoridades.

Segundo dados divulgados pela ministra da Saúde belga, Maggie de Block, cerca das 14:00 locais (13:00 em Lisboa), 14 pessoas morreram nas duas explosões ocorridas no aeroporto e, segundo o Ministério da Justiça, 81 ficaram feridas.

Segundo informações da empresa que explora o metropolitano, a STIB, avançadas cerca da mesma hora, 20 pessoas morreram na estação de metro, Segundo o presidente da câmara de Bruxelas, 106 pessoas ficaram feridas em Maelbeek, 17 das quais estão em estado grave.

Duas explosões registaram-se hoje de manhã, cerca das 08:00 locais (07:00 em Lisboa), no aeroporto de Zaventem e uma terceira, cerca de uma hora mais tarde, na estação de metro de Maelbeek, perto das instituições europeias.

As três explosões foram qualificadas pelas autoridades belgas como atentados terroristas.

Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.