sicnot

Perfil

Mundo

Mudanças climáticas estão a avançar a um ritmo "sem precedentes"

O ano de 2015 e as temperaturas de janeiro e fevereiro deste ano bateram todos os recordes, anunciou hoje a Organização Meteorológica Mundial (OMM), avisando que as mudanças climáticas estão a avançar a uma velocidade "sem precedentes".

© Finbarr O'Reilly / Reuters

De acordo com um comunicado do novo presidente da organização, Petteri Taalas, as mudanças climáticas nos primeiros dois meses deste ano elevaram-se a novos patamares, seguindo um ano de 2015 que já tinha "batido todos os recordes por uma ampla margem".

"A alarmante taxa de mudanças a que estamos a assistir no nosso clima como resultado das emissões de gás com efeito de estufa não tem precedentes nos registos modernos", acrescentou o responsável, que salientou que já no ano passado estas alterações tiveram como efeito um aumento do nível do aumento, uma diminuição do gelo nos oceanos e eventos meteorológicos extremos um pouco por todo o mundo.

A subida das temperaturas neste ano foram especialmente alarmantes, como um "estalo na cara", disse o diretor do Programa de Pesquisa sobre o Clima Mundial, Dave Carlson, quando apresentava o relatório aos jornalistas, em Genebra.

"Há uma tendência de aumento (das temperaturas) imparável", vincou, acrescentando que "as chocantes altas temperaturas até agora, neste ano, mandaram ondas de choque para toda a comunidade científica que estuda o clima".

Fevereiro foi o mês mais quente desde que há registos modernos, com uma temperatura média de 1,21 graus Celsius acima da média do século XX.

"O nosso planeta está a enviar uma mensagem poderosa aos líderes mundiais para que assinem e implementem o Acordo de Paris agora antes de passarmos o ponto de não retorno", disse o responsável, vincando que "os planos e acordos nacionais que foram até agora adotados não são suficientes para impedir um aumento da temperatura de 03 graus", o dobro do que foi acordado em Paris.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59