sicnot

Perfil

Mundo

Governo brasileiro corta 5,28 mil milhões de euros no orçamento para 2016

O Governo brasileiro decidiu hoje cortar 21,2 mil milhões de reais (5,28 mil milhões de euros) no Orçamento de 2016, dado o fraco desempenho da economia e a queda da receita fiscal.

© Adriano Machado / Reuters

O corte, anunciado pelo Ministério do Planeamento, Orçamento e Gestão através do relatório de receitas e despesas, soma-se a outra redução, de 23,4 mil milhões de reais (5,8 mil milhões de euros), decidida no mês passado.

O executivo brasileiro tenta assim assegurar o cumprimento da sua meta de excedente primário (resultado positivo receitas e despesas, excetuando gastos com pagamento de juros) para este ano de 24 mil milhões de reais (5,98 mil milhões de euros).

O Governo liderado por Dilma Rousseff passou também a prever uma contração de 3,05% no Produto Interno Bruto (PIB) em 2016, sendo que até agora a estimativa oficial era de uma queda de 2,9% para este ano.

Mesmo assim, o valor fica abaixo da previsão de economistas ouvidos na semana passada pelo Banco Central, que antecipam uma contração do PIB de 3,6%.

Já a previsão do Governo para a inflação subiu de 7,10% para 7,44%.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.