sicnot

Perfil

Mundo

EUA repatriam 58 migrantes cubanos

Os Estados Unidos repatriaram na quarta-feira 58 cubanos resgatados de botes quando tentavam chegar à costa norte-americana, indicou a Guarda Costeira.

© Handout . / Reuters

Os migrantes foram resgatados no Estreito da Florida -- os 150 quilómetros de água que separam o estado norte-americano e Cuba -- de sete botes diferentes na última semana.

O barco de patrulha da Guarda Costeira levou os botes até à vila cubana de Bahia de Cabanas, informa um comunicado.

A Guarda Costeira tem verificado um aumento no número de cubanos que chegam aos Estados Unidos por terra e mar desde que Washington e Havana anunciaram que iam começar a normalizar as relações, em dezembro de 2014.

Os migrantes cubanos que chegam aos Estados Unidos têm acesso a uma via rápida para obter residência e cidadania, de acordo com uma medida adotada durante a Guerra Fria que muitos receiam que seja abandonada se os dois países normalizarem as relações.

"As políticas de imigração não mudaram e instamos as pessoas a não se lançarem ao mar em barcos impróprios. É ilegal e extremamente perigoso", disse o capital Mark Gordon.

A Guarda Costeira resgatou outros 18 migrantes cubanos em severo estado de desidratação na costa da Florida, na sexta-feira. Nove membros deste grupo morreram durante a viagem.

Mais de 43 mil cubanos entraram nos Estados Unidos por mar e terra durante o ano fiscal de 2015, que terminou em setembro, um número inédito em várias décadas.

Cerca de 2.562 cubanos tentaram chegar às costas norte-americanas em botes desde 01 de outubro, estima a Guarda Costeira.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Quer conhecer os cães mais feios do mundo?
    1:15

    Mundo

    Na Califórnia, nos Estados Unidos, já foi eleito o cão mais feio do mundo de 2017, num concurso que se repete há 29 anos. Com 57 quilos, Martha recebeu a distinção enquanto ressonava no palco.