sicnot

Perfil

Mundo

Japão quer reduzir horas extraordinárias para incentivar a produtividade

O Governo japonês planeia reduzir o limite de horas extraordinárias que os empregados podem trabalhar, com o objetivo de diminuir os longos dias de trabalho habituais neste país e aumentar a produtividade, informa a imprensa local.

O Governo japonês planeia reduzir o limite de horas extraordinárias para aumentar a produtividade, informa a imprensa local

O Governo japonês planeia reduzir o limite de horas extraordinárias para aumentar a produtividade, informa a imprensa local

© Thomas Peter / Reuters

A legislação japonesa estabelece atualmente um limite de 45 horas extra por mês, apesar de este número poder ser aumentado até às 100 horas mensais se o funcionário assinar uma "cláusula especial" no seu contrato que aceita estas condições.

O Executivo contempla agora fixar um novo limite máximo que impeça, em qualquer situação, que se ultrapassem as 80 horas suplementares mensais, incluindo um pacote de medidas destinadas a reformar o mercado de trabalho, segundo o jornal Nikkei.

Segundo uma sondagem realizada pelo Governo em 2015, 1,1 milhões de trabalhadores fizeram mais de 100 horas extra mensais.

A norma laboral fixa um máximo de 40 horas de trabalho por semana, com exceções para determinadas profissões, e diz que o tempo de trabalho que supere este limite deve ser considerado como horas extraordinárias e retribuído com uma compensação especial.

Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.