sicnot

Perfil

Mundo

Suspeito terrorista detido em Paris foi condenado em julho com líder de ataques

O suspeito de planear um ataque em França preso na quinta-feira à noite perto de Paris tinha já sido condenado na Bélgica, em julho, juntamente com Abdelhamid Abaaoud, o líder dos ataques de novembro na capital francesa.

© Gonzalo Fuentes / Reuters

Segundo revelaram hoje fontes policiais, o homem, identificado como Reda K., foi condenado à revelia em Bruxelas por fazer parte de uma rede de jihadistas que planeavam ir para a Síria, disseram as fontes.

Reda K., de nacionalidade francesa, foi preso em Argenteuil, noroeste de Paris, na noite de quinta-feira com uma pequena quantidade de explosivos.

O Ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, revelou que Reda K. era suspeito de "estar envolvido no plano a alto nível".

"Ele pertence a uma rede terrorista que procurou atingir o nosso país", disse Bernard Cazeneuve, admitindo contudo não haver "provas tangíveis que relacionem esse plano com os ataques ocorridos em Paris ou em Bruxelas".

O ministro acrescentou que o suspeito esteve sob vigilância "durante várias semanas" e que a prisão foi também resultado da "cooperação estreita e permanente entre os serviços europeus".

A prisão surge dois dias depois de 31 pessoas terem sido mortas em ataques suicidas no aeroporto e no metro de Bruxelas, colocando os serviços de segurança de toda a Europa em alerta máximo.

Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07