sicnot

Perfil

Mundo

Secretário-geral da ONU quer fim da violência na Síria

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, apelou, na sexta-feira, em Beirute, ao fim da violência na Síria, onde a guerra iniciada há cinco anos já causou 270 mil mortos e o êxodo de milhões de pessoas.

© Brendan McDermid / Reuters

"É tempo de acabar com a violência (na Síria), de pôr fim às injustiças e de dar às pessoas a oportunidade para construírem uma vida melhor", disse Ban Ki-moon, numa conferência de imprensa, no termo de uma visita de dois dias ao Líbano.

"As Nações Unidas não pouparão esforços para pôr fim ao conflito na Síria nem para chegar a um acordo de paz justo e duradouro no Médio Oriente", disse aos jornalistas o responsável máximo pela ONU.

Ban Ki-moon reuniu-se com os dirigentes libaneses em Tripoli, no norte do país, onde se encontrou com famílias de refugiados sírios, que vivem em condições precárias.

O secretário-geral da ONU era acompanhado do presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, e do presidente do Banco Islâmico do Desenvolvimento, Ahmad al-Madani.

O Líbano acolhe mais de um milhão de refugiados sírios e cerca de 450 mil palestinianos, registados pelas Nações Unidas, o que representa a mais elevada taxa mundial de refugiados por habitante, de acordo com a organização internacional.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.