sicnot

Perfil

Mundo

Ex-dirigente da Blackstone acusado de fraude arrisca 40 anos prisão

Um ex-dirigente da sociedade de investimentos norte-americana Blackstone foi acusado hoje de fraude financeira num montante de 95 milhões de dólares (85 milhões de euros), anunciou o procurador federal de Manhattan, Preet Bharara, em comunicado.

© Brendan McDermid / Reuters

Segundo o texto da acusação, Andrew Caspersen, de 39 anos, utilizou fundos confiados por clientes em investimentos da sua conta pessoal, mas perdeu a maioria do capital, ao fazer más apostas no mercado das opções.

No seu comunicado, Bharara não identificou a empresa que empregava Caspersen na altura dos factos, mas a imprensa financeira norte-americana mencionou a PJT Partners. Mas a fraude teria começado antes, quando trabalhava para a Park Hill Group, uma filial da Blackstone, que esta alienou em 2013 para a PJT Parners.

Caspersen também é visado em processos levantados pela autoridade bolsista dos EUA, a SEC, na sigla em Inglês.

Segundo o procurador nova-iorquino, as ações de Caspersen teriam despertado as suspeitas deu investidor, que lhe tinha confiado dinheiro e o questionou sobre a natureza real das suas operações.

Se for condenado, arrisca uma pena de até 40 anos de prisão e uma penalização financeira de cinco milhões de dólares ou duas vezes o prejuízo provocado.

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".