sicnot

Perfil

Mundo

Japão perde contacto com satélite de observação recém-lançado

A agência de exploração espacial japonesa (JAXA) anunciou hoje ter perdido o contacto com o seu satélite de observação espacial Astro-H, lançado a 17 de fevereiro para estudar os buracos negros e agrupamentos de galáxias.

O satélite foi transportado pelo foguetão japonês 'H-ITA', lançado a partir do centro espacial de Tanegashima, no sul do país.

O satélite foi transportado pelo foguetão japonês 'H-ITA', lançado a partir do centro espacial de Tanegashima, no sul do país.

© KYODO Kyodo / Reuters

A comunicação com o aparelho falhou desde o início das suas operações, programado para o passado sábado, dia 26, explicou a agência.

A causa da falha de comunicação está a ser investigada, estando a JAXA a tentar recuperar o contacto.

A agência recebeu um breve sinal do satélite durante as suas investigações, mas não é atualmente capaz de determinar o estado em que se encontra o dispositivo.

Uma porta-voz da JAXA indicou à agência AFP que uma equipa técnica de 40 membros foi destacada para resolver o problema do satélite.

O Centro Conjunto de Operações Espaciais (JSpOC) norte-americano, que rastreia objetos artificiais que orbitam em torno da Terra, informou, através da rede social Twitter, que observou cinco objetos próximos do satélite de observação espacial japonês, sugerindo que o aparelho pode ter sofrido várias "ruturas".

O astronauta do Centro de Astrofísica de Harvard-Smithsonian Jonathan McDowell replicou, porém, que tal não significa que se "tenha desfeito em pedaços", apontando que pequenas peças poder-se-ão ter desprendido e que o satélite "pode estar basicamente intacto".

O Astro-H, que transporta 200 espelhos de concentração de raios-X para aparelhos de última geração, tem 14 metros de comprimento e nove de largura e pesa 2,7 toneladas, figurando como o satélite mais pesado lançado até hoje pelo Japão.

Desenvolvido conjuntamente pela JAXA, pela agência espacial norte-americana (NASA) e outros grupos, tinha como objetivo ficar em órbita a cerca de 580 quilómetros de altitude para observar os raios-X emitidos principalmente por buracos negros e agrupamentos de galáxias distantes, através dos seus detetores de raios gama e quatro telescópios de raios-X.

O satélite foi transportado pelo foguetão japonês H-ITA, lançado a partir do centro espacial da ilha de Tanegashima, na prefeitura de Kagoshima, localizada no sudoeste do Japão.

Os buracos negros nunca foram observados diretamente, mas o anúncio em fevereiro da deteção, pela primeira vez, de ondas gravitacionais constitui mais uma prova da sua existência.

Os físicos concluíram que as ondas gravitacionais detetadas foram produzidas durante a fração final de um segundo da fusão de dois buracos negros num de maiores dimensões. Essa colisão de dois buracos negros tinha sido prevista, mas nunca observada.

De acordo com a JAXA, o Astro-H poderá contribuir com elementos de resposta inéditos para questões universais como: Quais são as leis da física em condições extremas? O que aconteceu no momento da criação do universo? Como se formaram as galáxias e como evoluíram? Como se desenvolvem os buracos negros e qual a sua influência em redor?

Lusa

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • FBI investiga possível campanha de espiões russos contra Hillary
    0:57

    Mundo

    A suspeita de ligação entre a equipa de Donald Trump e operacionais russos está a aumentar. A CNN diz que a equipa do Presidente do Estados Unidos da América se coordenou com os russos para atingir Hillary Clinton. O FBI está a investigar registos telefónicos, de viagens, relatórios e transações para offshores.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • O edifício mais longo do mundo

    Mundo

    Se pensa que já viu tudo em relação aos edifícios mais longos e complexos do mundo, pense duas vezes. O edifício mais longo do mundo pode estar prestes a chegar e promete fazer de Nova Iorque uma cidade ainda mais atrativa.