sicnot

Perfil

Mundo

Kremlin acusa "serviços secretos estrangeiros" de pretenderem perturbar eleições na Rússia

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskovo, acusou hoje os serviços secretos e os media estrangeiros de procurarem desacreditar o Presidente russo, Vladimir Putin, e perturbar as eleições legislativas na Rússia previstas para Setembro.

Vladimir Putin, Presidente da Rússia.

Vladimir Putin, Presidente da Rússia.

© POOL New / Reuters

"Diversas instituições públicas, organizações não-governamentais, serviços de segurança de países estrangeiros e certos media (...) juntaram-se para uma campanha eleitoral no nosso país antes do início efetivo da campanha", disse.

"Continuam ativamente a tentar influenciar o nosso país (...) e o principal objetivo consiste em desacreditar" a reputação de Vladimir Putin, precisou.

As eleições legislativas na Rússia estão previstas para 18 de setembro, quando o país está confrontado com uma grave crise económica motivada pela queda dos preços do petróleo e as sanções ocidentais relacionadas com o conflito ucraniano.

No final de fevereiro Vladimir Putin já tinha afirmado que "inimigos estrangeiros" pretendiam perturbar estas eleições, e ordenou ao Serviço federal de segurança (FSB) um reforço da vigilância.

Segundo Dmitri Peskov, o "Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação" [ICIJ], um coletivo que tem revelado numerosos escândalos, designadamente financeiros, está a investigar a vida privada de Putin, da sua família e dos seus amigos.

O coletivo, que segundo o porta-voz inclui membros de serviços de informações estrangeiros, prepara "um ataque mediático" destinado a denegrir a reputação do Presidente da Rússia.

Peskov advertiu que o Kremlin está preparado para contra-atacar e poderá perseguir os jornalistas por difamação, caso publiquem "mentiras" sobre o líder russo.

Lusa

  • Isto não é não jornalismo. Por Ricardo Costa

    Opinião

    Uma das decisões mais banais e corriqueiras do jornalismo assenta nas escolhas que se fazem no dia a dia. Que temas se abordam, que destaque se dá a este ou aquele assunto, que ângulos de abordagem se usam. São opções condicionadas por uma série de fatores - que vão do interesse e da novidade até questões tão básicas como o haver ou não jornalistas com tempo, meios e conhecimentos para o fazerem -, que estão e estarão na base de qualquer dia de trabalho numa redação.

    Ricardo Costa

  • Bruxelas multa Altice em 125 M€ devido à compra da PT

    Economia

    Os Serviços da Concorrência da Comissão Europeia decidiram multar a Altice em 125 milhões de euros no âmbito da compra da PT Portugal. Bruxelas avançou com a multa à Altice por ter começado a gerir a PT antes do negócio ter sido aprovado pela Comissão Europeia.

  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.