sicnot

Perfil

Mundo

Dilma cancela viagem aos EUA no meio de crise política

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, cancelou hoje a viagem que deveria fazer esta semana aos Estados Unidos, pouco depois de o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) ter decidido abandonar a coligação de governo.

Dilma Rousseff

Dilma Rousseff

© Adriano Machado / Reuters

A chefe de Estado brasileira iria participar na 4.ª Cimeira de Segurança Nuclear, em Washington, entre quinta e sexta-feira, e deveria partir do Brasil na quarta-feira de manhã.

Segundo a Agência Brasil, a equipa de apoio que viaja sempre antes da Presidente não embarcou na segunda-feira e hoje recebeu o aviso de que aquela iniciativa deixou de figurar na agenda.

Caso participasse no encontro, no qual são esperados outros chefes de Estado, o vice-presidente Michel Temer, também presidente do PMDB, assumiria a Presidência da República brasileira, como sempre acontece nas viagens de Dilma Rousseff ao estrangeiro.

Esta tarde, o PMDB, principal aliado do Partido dos Trabalhadores (PT) da Presidente Dilma Rousseff, decidiu abandonar o Governo.

A possibilidade de Michel Temer assumir a Presidência, caso Dilma Rousseff seja destituída do cargo, torna-se mais provável depois desta decisão do maior partido brasileiro.

A imprensa brasileira tem dado conta de vários encontros entre elementos do PMDB e do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), da oposição, para discutir um possível acordo de governo pós-destituição, em que Michel Temer assumiria a Presidência da República.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.