sicnot

Perfil

Mundo

Passageiros egípcios libertados, estrangeiros e tripulação permanecem sequestrados

As forças de segurança cipriotas informaram que foram libertadas pelo menos as mulheres e crianças que seguiam a bordo do avião da companhia aérea Egyptair, que aterrou hoje em Chipre depois de ter sido desviado. O aeroporto de Larnaca foi encerrado e todos os voos desviados para Paphos.Entretanto, sabe-se que o homem que sequestrou o avião da Egypt Air pediu asilo ao Chipre.

Libertados alguns passageiros de avião da Egyptair

Libertados alguns passageiros de avião da Egyptair

© Yiannis Kourtoglou / Reuters

Segundo a transportadora, foram libertados todos os passageiros à exceção de pelo menos quatro estrangeiros e dos membros da tripulação.

O avião da Egyptair, que fazia um voo doméstico no Egito, entre Alexandria e o Cairo, foi desviado por piratas do ar ('hijackers') para o aeroporto de Larnaca, na costa sul de Chipre, de acordo com o Ministério da Aviação Civil egípcio e a rádio estatal cipriota.

Fonte do Ministério da Aviação Civil, citada pela agência Xinhua, indica que a bordo seguiam pelo menos dez norte-americanos e oito britânicos.

Segundo fontes da aviação civil egípcia e da companhia áerea, um homem ameaçou fazer explodir um cinto de explosivos para obrigar o piloto a desviar da rota e a aterrar em Chipre.

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.