sicnot

Perfil

Mundo

Desastres mundiais custaram mais de 80 mil M€ em 2015

Os desastres naturais ou provocados pelo homem custaram em 2015 mais de 81 mil milhões de euros, apesar de tudo, menos do que em 2014 (99,7 mil milhões de euros), indica hoje um relatório da seguradora Swiss Re.

© Ho New / Reuters

Segundo o documento da seguradora suíça, as perdas globais ascenderam a 32,6 mil milhões de euros, longe dos 54,7 mil milhões da média anual dos últimos 10 anos.

O maior prejuízo de um único desastre em 2015 está relacionado com a dupla explosão no porto de Tianjin, no nordeste de China, registada em agosto, que provocou perdas entre 2,2 mil milhões e três mil milhões de euros.

O segundo maior está ligado à tempestade que assolou em fevereiro os Estados Unidos, que deixou para as seguradoras uma fatura de 1,8 mil milhões de euros.

Dos 353 desastres contabilizados em 2015, 198 foram catástrofes naturais, o maior número de sempre, assegurou a Swiss Re.

O relatório é a versão final de um outro preliminar, que, em dezembro, estimou que todos os desastres registados em 2015 provocaram perdas no valor de 75 mil milhões de euros.

Cerca de 70,6 mil milhões dos 81,24 mil milhões de euros das perdas vêm de desastres naturais, cuja "lista" é liderada pelo tremor de terra no Nepal, que gerou prejuízos de 5,2 mil milhões de euros - valor que inclui também estragos na Índia, China e Bangladesh - e matou quase 9.000 pessoas, tornando-o no acidente mais mortífero de 2015.

O relatório indica que as explosões em Tianjin, que provocaram a morte de 173 pessoas, foram as que causaram as maiores perdas de sempre na Ásia e o terceiro maior de sempre, numa "lista" liderada pelos ataques de 11 de setembro de 2011 nos Estados Unidos, cujos prejuízos estão avaliados em 22,2 mil milhões de euros.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.