sicnot

Perfil

Mundo

EUA excluem participação de Bashar al-Assad em Governo de unidade na Síria

Os Estados Unidos excluíram hoje qualquer possibilidade de um Governo de unidade na Síria que inclua o Presidente Bashar al-Assad.

© Sana Sana / Reuters

Na sequência da entrevista de Bashar al-Assad à agência noticiosa russa Ria Novosti, o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, afirmou, em conferência de imprensa, que está "fora de questão" que o chefe de Estado sírio faça parte de um Governo de unidade no país.

Na entrevista, o Presidente sírio apelou para a formação de um "governo de unidade nacional" com a participação de membros fiéis ao regime de Damasco e também da oposição, que deverá redigir uma nova Constituição, opondo-se a um executivo de transição.

"É lógico que forças independentes e da oposição" participem nesse governo, e as negociações de Genebra podem "resolver" a questão da distribuição das pastas ministeriais, considerou Assad.

Na entrevista, o Presidente sírio afirmou também que os cinco anos de conflito no país já custaram mais de 176 mil milhões de euros.

"Os danos económicos e nas infraestruturas ultrapassam os 176 mil milhões de euros", afirmou Bashar al-Assad.

"As questões económicas podem ser resolvidas imediatamente, quando a situação estabilizar na Síria, mas reabilitar as infraestruturas vai levar algum tempo", salientou.

Lusa

  • Cinco anos de guerra na Síria
    1:59

    Mundo

    A guerra na Síria começou há cinco anos. Já fez 270 mil mortos, um milhão de feridos e foi responsável pela maior crise migratória após a 2ª Guerra Mundial. O conflito começou em 2011 com a Primavera Árabe e a contestação a Bashar al-Assad. O país está dividido e é controlado pelo Daesh, pela Frente al-Nusra ligada à Al-Qaeda e pelos curdos. As tropas fiéis ao regime batem-se com os rebeldes que pretendem a queda do presidente do país. Cinco anos depois, Bashar al-Assad continua no poder, quase cinco milhões de pessoas fugiram e 450 mil pessoas vivem num país em ruínas.

  • Síria reconquista Palmira ao Daesh
    2:05

    Daesh

    O excército sírio recuperou o controlo total de Palmira numa operação apoiada pela aviação russa. O grupo, que ocupava o território há mais de um ano, fez explodir templos e pilhou relíquias com mais de dois mil anos.

  • Cavaco apela ao voto contra a eutanásia
    1:09

    País

    A eutanásia será discutida no Parlamento na terça-feira e os deputados do PS e PSD terão liberdade de voto. O PCP e CDS já se anteciparam e garantem que vão votar contra. Cavaco Silva é outra voz crítica em relação a esta questão. O ex-Presidente da República diz que é a decisão mais grave que os deputados podem tomar e apela que nas legislativas de 2019 não se vote nos partidos que forem a favor da morte medicamente assistida.

  • Papa terá pedido a bispos que rejeitem seminaristas homossexuais
    1:15
  • Duquesa de Sussex já tem brasão

    Harry & Meghan

    O Palácio de Kensington apresentou esta sexta-feira o brasão da Duquesa de Sussex, Meghan Markle. O brasão foi criado pelo College of Arms mas teve a ajuda da duquesa para que este fosse "pessoal e representativo".

    SIC

  • Moradores de Lake Worth recebem alerta para invasão de mortos-vivos

    Mundo

    E se de repente recebesse uma mensagem que alertava que a sua cidade estava a ser atacada por mortos-vivos? Foi o que aconteceu com os moradores da cidade norte-americana de Lake Worth, que foram surpreendidos durante a madrugada por uma mensagem de emergência dos serviços estatais, que os avisava de "atividade extrema de mortos-vivos".

    SIC