sicnot

Perfil

Mundo

Homens armados invadem estação de televisão na Líbia

Um grupo de homens armados invadiu hoje a sede da estação de televisão Al- Nabaa em Trípoli, capital da Líbia, cortando as transmissões e forçando a saída dos trabalhadores, segundo dois jornalistas do canal.

"Um grupo de homens armados, alguns deles com uniformes e outros vestidos à civil, invadiram os nossos escritórios e reuniram os funcionários numa sala antes de os expulsar da estação", disse um dos jornalistas à AFP.

Os programas da cadeia Al- Nabaa pararam completamente durante meia hora depois de uma bandeira vermelha aparecer a dizer "Urgente", anunciando que "os filhos e revolucionários de Trípoli fecharam a cadeia televisiva da discórdia e da instigação (ao ódio)", ameaçando perseguir todos aqueles que voltarem ao trabalho.

"Eles levaram-nos para fora das instalações, assumindo o controlo e suspendendo a transmissão. Nenhum de nós ficou ferido", disse à AFP um outro jornalista, sob condição de anonimato.

No início do dia, esta mesma cadeia tinha transmitido as declarações do Khalifa el-Ghweill, chefe das autoridades não reconhecidas pela comunidade internacional no controlo de Trípoli, exigindo que Fayez al- Sarraj - um empresário nomeado primeiro-ministro do governo de união apoiado pela ONU -- deixasse o país.

Sarraj chegou hoje a Trípoli, vindo da Tunísia, com vários membros de seu gabinete.

Os deputados não reconhecidos de Trípoli foram à Al-Nabaa para denunciar a chegada de Sarraj e dos seus ministros, apelidando os oficiais que permitiram a chegada de "traidores".

Um jornalista da Al-Nabaa disse que os homens armados que invadiram o canal "pareciam estar a favor do governo Sarraj".

Lusa

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".