sicnot

Perfil

Mundo

Líder do Podemos renuncia a vice-presidência mas insiste em Governo de esquerda

O líder do partido de esquerda espanhol Podemos insistiu hoje num "governo de coligação de esquerda" para Espanha, com o socialista PSOE mas sem o Ciudadanos (centro-direita), e anunciou que está disposto a ceder na exigência de ser vice-presidente de um Governo do socialista Pedro Sánchez.

Líder do PSOE Pedro Sánchez e líder do podemos Pablo Iglesias.

Líder do PSOE Pedro Sánchez e líder do podemos Pablo Iglesias.

© Sergio Perez / Reuters

"A via mais eficaz, simples e possível [para que haja um governo progressista em Espanha] é da via dos 161", disse Pablo Iglesias, numa referência ao número de deputados que somariam PSOE (90), Podemos (69) e Izquierda Unida (2) numa futura votação de investidura.

Pablo Iglesias falava no final de uma reunião com o secretário-geral do PSOE, Pedro Sánchez, no Congresso dos Deputados, para discutir eventuais acordos para formação de Governo. Espanha realizou eleições gerais há 101 dias e restam 33 para que os partidos consigam chegar a um acordo, evitando assim nova ida às urnas.

"Com este apoio de 161 deputados no Congresso teríamos um governo de coligação progressista e esta fórmula é muito mais segura e eficaz do que a via dos 130, que já mostrou que não serve. O melhor para Espanha é seguir para os 161", salientou Pablo Iglesias. A referência do secretário-geral do Podemos aos 130 deputados prende-se com o acordo do PSOE com o Ciudadanos (40 deputados), chumbado na primeira sessão de investidura de Pedro Sánchez, no início do mês.

Logo após as primeiras reuniões do Rei Felipe VI com os partidos para a formação de governo, o Podemos tinha oferecido ao PSOE a formação de um executivo de esquerda, com Pedro Sánchez como presidente, Iglesias como vice-presidente e cinco ministérios para a formação de esquerda radical. Hoje, Iglesias aceitou renunciar a ser vice-presidente.

"Se a minha presença é uma dificuldade, então estou disposto a ceder e a não estar nesse governo. Para defender a justiça social, a presença do Podemos nesse governo é essencial, mas se o problema que tem o PSOE é a minha presença, então saio", afirmou Pablo Iglesias.

No entanto, salientou que a vice-presidência desse futuro governo seria do Podemos, já que defendeu um executivo "proporcional" ao número de votos que cada votação obteve a 20 de dezembro.

O líder do Podemos acrescentou que passará a liderar o grupo de negociações com o PSOE e outros partidos para formar um governo à esquerda e salientou que agora os socialistas "já não têm mais desculpas".

"Agora toca ao PSOE ceder um pouco e explorar a via dos 161", afirmou.

Sobre o pacto dos socialistas com o Ciudadanos, Iglesias disse ter transmitido a Pedro Sánchez que respeita esse acordo, mas sublinhou que "já demonstrou não servir como acordo de governo".

"As duas tentativas de investidura demonstram que não serve. Mas tomámos nota da boa disposição do Ciudadanos, e pensamos que pode vir a viabilizar - pela ativa ou pela passiva - um governo de esquerda", disse Iglesias, acrescentando que está disponível para reunir-se com o líder do Ciudadanos, Albert Rivera.

O Podemos pede ao Ciudadanos que se abstenha ou vote a favor num governo de coligação de esquerda entre o PSOE, o Podemos e a Izquierda Unida, mas rejeita estar num executivo com a formação de centro-direita.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.