sicnot

Perfil

Mundo

Saida do PMDB decretou o fim de Dilma, diz oposição

Líderes da oposição brasileira afirmaram que a decisão do Partido do Movimento Democrático Brasileiro de sair da coligação de governo sinaliza que o processo de destituição (impeachment) da Presidente Dilma Rousseff será aprovado.

© Ueslei Marcelino / Reuters

O deputado Pauderney Avelino, do partido Democratas, enfatizou este ponto ao sublinhar que "o Governo está cada vez mais fragilizado e a saída do PMDB representa o seu fim".

Avelino também frisou que Dilma Rousseff perdeu "todas as condições de governar" e, diante deste facto, vai ser difícil impedir a saída de outros partidos da coligação aliada.

"Qualquer barganha que o governo possa utilizar nesta fase final não surtirá efeito", sustentou.

O Deputado Antonio Imbassahy, líder do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) na Câmara, sigla que faz a oposição mais direta ao Partido dos Trabalhadores (PT) no Brasil, também comentou que a decisão reforça o processo de destituição.

"O Governo estava em agonia e perde o principal parceiro que dá sustentação a ele", declarou.

Na página oficial do partido Solidariedade, um comunicado também apresenta declarações do deputado Paulinho da Força sobre esta nova conjuntura.

"Agora não tem jeito, o impeachment é inevitável. Não é justo e democrático os presidentes dos partidos segurarem seus deputados e os obrigarem a votar contra a vontade dos brasileiros. Devemos satisfação para nossos eleitores. A saída do PMDB e, consequentemente, de outros partidos, é o tiro de misericórdia", declarou.

Na terça-feira à tarde, membros do diretório nacional do PMDB anunciaram a saída do partido da coligação de governo em uma decisão tomada por aclamação.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Oliveira e Costa condenado a 14 anos de prisão

    País

    O fundador do grupo SLN/BPN, José Oliveira e Costa, foi esta quarta-feira condenado pelo tribunal a uma pena de prisão efetiva de 14 anos pelos crimes de falsificação de documentos, fraude fiscal qualificada, burla qualificada e branqueamento de capitais. Dos 15 arguidos no processo, 12 foram condenados.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras