sicnot

Perfil

Mundo

Bashar al-Assad disposto a presidenciais antecipadas

O presidente sírio, Bashar al-Assad, disse que está disposto a realizar eleições presidenciais antecipadas se for essa a vontade do povo sírio, numa entrevista à agência russa Ria-Novosti divulgada hoje em Damasco.

Presidente sírio Bashar al-Assad

Presidente sírio Bashar al-Assad

© Sana Sana / Reuters

"Há uma vontade popular para realizar eleições presidenciais antecipadas? Se há, não tenho problema com isso", disse, segundo uma transcrição em árabe divulgada por Damasco e citada pela agência France Presse.

Bashar al-Assad foi reconduzido no cargo em 2014, numas presidenciais realizadas já em plena guerra civil e limitadas às partes do território então controladas pelo regime. O atual mandato, de sete anos, termina em 2021.

No entanto, o plano internacional para uma solução política para o conflito prevê eleições legislativas e presidenciais dentro de 18 meses e a formação de um órgão de transição dentro de 6 meses para a redação de uma nova Constituição.

O papel que Bashar al-Assad pode desempenhar nas novas instituições continua a ser o principal desacordo entre o regime e a oposição.

Na entrevista, Assad afirma que todos os cidadãos sírios poderão participar na eleição: "Isso incluiria todos os sírios, estejam eles na Síria ou fora (...) Cada sírio, esteja onde estiver, tem o direito", disse.

A agência russa divulgou na quarta-feira, em Moscovo, uma entrevista ao presidente sírio, na qual, segundo excertos das agências internacionais, Assad defendeu que o governo de transição deve incluir figuras do regime e da oposição, o que foi imediatamente rejeitado pela oposição.

Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.