sicnot

Perfil

Mundo

Bélgica vai extraditar Abdeslam para França

Em desenvolvimento

A justiça belga dedidiu hoje extraditar para França Salah Absdelam, o suspeito dos atentados de Paris que foi detido em Bruxelas.

© Eric Vidal / Reuters

Abdeslam, que segundo o seu advogado aceita a extradição e está pronto para colaborar com as autoridades francesas, foi capturado em 18 de março no bairro de Molenbeek, em Bruxelas, e encontra-se detido numa prisão de segurança máxima.

"A extradição é autorizada", indicou o Ministério Público federal belga num comunicado, recordando que Salah Abdeslam tinha manifestado vontade de ser extraditado para França.

"As autoridades belgas e francesas vão agora analisar, em conjunto, como prosseguir na execução da extradição", acrescentou a nota informativa.

O pedido para a entrega de Salah Abdeslam às autoridades francesas foi hoje avaliado na câmara do conselho do tribunal de recurso de Bruxelas, numa audiência à porta fechada.

Mas Salah Abdeslam não chegou a sair da prisão de Bruges (noroeste), onde está detido.

Um magistrado do Ministério Público federal belga deslocou-se hoje ao estabelecimento prisional de segurança máxima para ouvir o suspeito.

"Dado o consentimento explícito de Salah Abdeslam para ser entregue às autoridades francesas, ele tinha ainda de ser ouvido por um magistrado federal, em conformidade com a lei", explicou o Ministério Público.

Salah Abdeslam, um francês de origem marroquina nascido em Bruxelas há 26 anos, é o único sobrevivente do grupo de atacantes que realizaram os atentados de 13 de novembro de 2015 em Paris, que fizeram 130 mortos.

O advogado de Salah Abdeslam, Cedric Moisse, já tinha afirmado que o seu cliente aceitava a extradição.

"Salah Abdeslam quer ser entregue às autoridades francesas", afirmou Moisse, em declarações aos jornalistas em Bruxelas.

"Também posso confirmar que ele quer cooperar com as autoridades francesas", acrescentou o advogado.

Com Lusa
Última atualização às 18:28

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".