sicnot

Perfil

Mundo

Bélgica vai extraditar Abdeslam para França

Em desenvolvimento

A justiça belga dedidiu hoje extraditar para França Salah Absdelam, o suspeito dos atentados de Paris que foi detido em Bruxelas.

© Eric Vidal / Reuters

Abdeslam, que segundo o seu advogado aceita a extradição e está pronto para colaborar com as autoridades francesas, foi capturado em 18 de março no bairro de Molenbeek, em Bruxelas, e encontra-se detido numa prisão de segurança máxima.

"A extradição é autorizada", indicou o Ministério Público federal belga num comunicado, recordando que Salah Abdeslam tinha manifestado vontade de ser extraditado para França.

"As autoridades belgas e francesas vão agora analisar, em conjunto, como prosseguir na execução da extradição", acrescentou a nota informativa.

O pedido para a entrega de Salah Abdeslam às autoridades francesas foi hoje avaliado na câmara do conselho do tribunal de recurso de Bruxelas, numa audiência à porta fechada.

Mas Salah Abdeslam não chegou a sair da prisão de Bruges (noroeste), onde está detido.

Um magistrado do Ministério Público federal belga deslocou-se hoje ao estabelecimento prisional de segurança máxima para ouvir o suspeito.

"Dado o consentimento explícito de Salah Abdeslam para ser entregue às autoridades francesas, ele tinha ainda de ser ouvido por um magistrado federal, em conformidade com a lei", explicou o Ministério Público.

Salah Abdeslam, um francês de origem marroquina nascido em Bruxelas há 26 anos, é o único sobrevivente do grupo de atacantes que realizaram os atentados de 13 de novembro de 2015 em Paris, que fizeram 130 mortos.

O advogado de Salah Abdeslam, Cedric Moisse, já tinha afirmado que o seu cliente aceitava a extradição.

"Salah Abdeslam quer ser entregue às autoridades francesas", afirmou Moisse, em declarações aos jornalistas em Bruxelas.

"Também posso confirmar que ele quer cooperar com as autoridades francesas", acrescentou o advogado.

Com Lusa
Última atualização às 18:28

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.