sicnot

Perfil

Mundo

Ministra francesa compara mulheres que usam véus a negros que apoiam escravatura

Uma ministra francesa comparou na quarta-feira as mulheres que usam véu aos "negros que apoiavam a escravatura" numa reação contra a crescente tendência dos criadores para fazerem roupa orientada para as islâmicas.

Ministra da Família francesa, Laurence Rossignol

Ministra da Família francesa, Laurence Rossignol

© Charles Platiau / Reuters


A ministra da Família francesa, Laurence Rossignol, indignou-se nas redes sociais, juntando-se ao cofundador da Yves Saint Laurent, Pierre Bergé, que atacou os estilistas que estão a criar vestuário islâmico, acusando-os de participarem na "escravidão das mulheres".

Várias marcas do mundo da moda apresentaram este ano coleções especificamente dirigidas ao mercado muçulmano.

Laurence Rossignol, que também é responsável pela pasta dos direitos das mulheres, já explicou que se estava a referir a um panfleto abolicionista do filósofo Montesquieu, quando dez aos seus controversos comentários.

À agência noticiosa AFP, a ministra admitiu que cometeu um erro de linguagem.

"Mas não retiro uma palavra", acrescentou.

"Os criadores não deviam estar envolvidos com a moda islâmica. Os estilistas devem existir para tornar a mulher mais bonita, para lhes dar mais liberdade, não para colaborar com a ditadura imposta que obriga as mulheres a esconderem-se e a viverem escondidas", salientou, por seu lado, Pierre Bergé.

Enquanto a França bane a cobertura da cara com véus, algumas das suas maiores casas de moda criam roupa específica para mulheres islâmicas.

Lusa

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.