sicnot

Perfil

Mundo

Cidadãos da UE gastam entre 21 e 31 mil milhões de euros por ano em drogas ilícitas

Os cidadãos da União Europeia devem gastar entre 21 e 31 mil milhões de euros anualmente em drogas ilícitas, segundo um relatório do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA) e a Europol (Serviço Europeu de Polícia).

(Arquivo)

(Arquivo)

© Steve Dipaola / Reuters

O documento conjunto, apresentado hoje em Bruxelas, mostrou como o mercado continua a ser um dos mais rentáveis para grupos de crime organizado e que os impactos se estendem a "outros tipos de atividades criminais e ao terrorismo" e a pressões sobre instituições governamentais.

Num comentário ao relatório, Alexis Goosdeel, do EMCDDA, e Rob Wainwight, Europol, notaram que o mercado continua a ser uma das principais ameaças para a segurança da UE e que esta é uma área impulsionada por "dois motivos simples: lucro e poder".

"A capacidade de minar esses motivos é fundamental se quisermos ter qualquer impacto sobre a criminalidade relacionada com a droga e reduzir os impactos mais amplos sobre a sociedade", concluíram os diretores das instituições.

O relatório refere que a cannabis é a droga mais usada na Europa e que terá um peso de 38% no mercado de drogas ilícitas, traduzindo entre 8,4 mil milhões e 12,9 mil milhões de euros anualmente.

Em 2015, a cannabis deverá ter sido usada por cerca de 22 milhões de adultos na UE, com aproximadamente 1% dos europeus a usarem este produto na base diária, "aumentando o risco de problemas de saúde e sociais", segundo o texto.

O mercado continua dominado pela erva cannabis, mas há um aumento da resina de cannabis oriunda de Marrocos e que poderá estar a ser traficada a par de outros bens e de pessoas.

A segunda droga mais vendida é a heroína, devendo valer cerca de 6,8 mil milhões de euros, segundo o texto, que refere que, "após um período de declínio, há sinais recentes de um aumento da disponibilidade" e que continua, "no geral, elevada" a produção de ópio no Afeganistão.

Novas rotas estão a emergir em África, no Cáucaso do Sul, na Síria e no Iraque, enquanto a rota dos Balcãs continua a ser um corredor fundamental para a entrada de heroína na UE, indicou o documento, notando uma diversificação do mercado, através de medicamentos de prescrição e de novos opiáceos sintéticos.

Por seu lado, a cocaína deverá ter um mercado anual estimado de, pelo menos, 5,7 mil milhões de euros e é usada sobretudo na Europa ocidental e do Sul, num consumo que se tem mantido estável, apesar de indícios de um aumento de disponibilidade.

"O cultivo de coca parece estar a aumentar depois de um período de declínio, mas é incerta a quantidade produzida de cocaína", lê-se no documento, que indica como pontos chave de partida do tráfico a Colômbia, Brasil e Venezuela.

As anfetaminas devem valer, por ano, entre 1.2 mil milhões e 2,5 mil milhões de euros, enquanto se estima uma média de 0.67 mil milhões de euros em relação a MDMA/ecstasy.

O texto indicou a Holanda e a Bélgica como locais de produção de MDMA e anfetaminas, enquanto as metanfetaminas parecerem ter sobretudo origem na República Checa.

No relatório foi ainda notado o número elevado de novas substâncias psicoativas que são vendidas como substitutas legais das drogas ilícitas.

"100 novas substâncias foram registadas em 2015 e o sistema de alerta da UE está a monitorizar mais de 560", acrescenta o documento.

Lusa

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.