sicnot

Perfil

Mundo

EUA alertam para perigos das alterações climáticas para a saúde pública

O Governo dos EUA publicou hoje os resultados de um estudo que conclui que as alterações climáticas terão efeitos nocivos na saúde pública dos norte-americanos nas próximas décadas.

© Kevin Lamarque / Reuters

O estudo, levado a cabo durante três anos por várias agências federais, indica que no verão de 2030 vão registar-se mais 11 mil mortes em comparação com os números atuais por causa do "calor extremo", e que em 2100 o número de mortes adicionais devido às altas temperaturas ascenderá a 27 mil, caso não seja feito um esforço "acelerado" para suspender as alterações climáticas.

A Casa Branca apontou o aumento das doenças transmitidas por insetos e a redução do valor nutricional dos alimentos como exemplos de perigos derivados das mudanças climáticas para os seres humanos.

"A necessidade de passar à ação contra as alterações climáticas é muito explícita quando se olha para a saúde pública. Não se trata apenas dos glaciares e dos ursos polares. É sobre a saúde dos nossos filhos", disse, na apresentação do estudo, a administradora da Agência de Proteção do Meio Ambiente dos Estados Unidos, Gina McCarthy.

O relatório aponta a necessidade de ir além dos acordos alcançados em Paris em dezembro do ano passado por quase 200 países em relação à luta contra as alterações climáticos, ao considerar que estes são insuficientes para evitar grande parte das consequências.

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida