sicnot

Perfil

Mundo

Separatistas do Nagorno-Karabakh e Azerbaijão anunciam cessar-fogo

As autoridades separatistas arménias da região do Nagorno-Karabakh e as forças do Azerbaijão anunciaram hoje ter concluído um acordo de cessar-fogo, depois de quatro dias de violentos confrontos que fizeram pelo menos 64 mortos.

reuters

"Um acordo de cessar-fogo foi concluído com o Azerbaijão. Demos ordem para suspender os disparos", disse um porta-voz do Ministério da Defesa da região separatista do Cáucaso citado pela agência France Presse.

O acordo foi confirmado pouco depois pelo Azerbaijão: "As ações militares foram suspensas às 12:00 locais (09:00 em Lisboa) de terça-feira", informou o Ministério da Defesa azeri num comunicado, citado pela mesma agência.

Violentos confrontos opuseram nos últimos quatro dias forças do Azerbaijão e da Arménia na região, em território azeri mas de população maioritariamente arménia.

Pelo menos 64 pessoas morreram nos confrontos, os mais violentos na região nos últimos 20 anos.

Os dois países assinaram um cessar-fogo em 1994, mas até hoje não chegaram a acordo quanto ao estatuto da região, situada numa zona estratégica, entre o Irão, a Rússia e a Turquia.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.