sicnot

Perfil

Mundo

Karadzic considera monstruoso o veredito de culpado de crimes de guerra

O ex-líder sérvio-bósnio Radovan Karadzic classificou hoje como monstruoso o veredito de culpado de crimes de guerra, emitido pelo Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia, na sua primeira comparência em tribunal após a condenação a 40 anos de prisão.

MICHAEL KOOREN

Numa audiência especial no tribunal sediado em Haia, Karadzic declarou mais uma vez a sua inocência de todos os crimes de que é acusado, incluindo genocídio, no âmbito das guerras dos Balcãs, na década de 1990.

O ex-dirigente sérvio-bósnio instou o TPIJ a libertá-lo para preparar o seu recurso, revelando que já tinha feito as malas antes do veredito de 24 de março, esperando ser libertado.

Mas os juízes do tribunal criado pela ONU consideraram que Karadzic, o mais alto responsável condenado por crimes cometidos durante as guerras que desmembraram a Jugoslávia, tinha responsabilidade criminal por homicídio e perseguição durante o conflito da Bósnia (1992-95).

O juiz O-Gon Kwon considerou Karadzic culpado de genocídio, pelo massacre de Srebrenica, em 1995, e outras nove acusações, incluindo exterminação, deportações e sequestro, num veredito emitido mais de duas décadas depois de ter sido acusado.

"Em vez da única decisão certa, a absolvição, e de me permitirem ir embora para casa -- eu já tinha feito as malas na unidade de detenção -, temos agora um julgamento, e é monstruoso, tal como a própria condenação é monstruosa", sustentou Karadzic.

"Durante oito anos, participei nos procedimentos de forma exemplar, para garantir que não contribuiria para comprometer o funcionamento deste tribunal de qualquer maneira que fosse", disse Karadzic na audiência especial que pediu para discutir os seus problemas de "saúde mental".

Quase 8.000 homens e rapazes muçulmanos foram assassinados e os seus corpos atirados para valas comuns em julho de 1995 em Srebrenica, no leste da Bósnia, quando as forças sérvias-bósnias ignoraram o contingente holandês de manutenção da paz, munido de armamento ligeiro, que protegia a zona segura pela ONU.

O massacre, considerado genocídio por dois tribunais internacionais, foi o maior derramamento de sangue em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial.

Lusa

  • Samaris suspenso por três jogos

    Desporto

    O internacional grego do Benfica Samaris foi castigado com três jogos de suspensão pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, após ter sido instaurado um auto de flagrante delito por parte da Comissão de Instrutores.

    Em atualização

  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.