sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 800 detidos em campanha contra veículos elétricos ilegais no sul da China

Uma campanha encetada pelas autoridades chinesas para combater o uso de veículos elétricos sem licença, na cidade de Shenzhen, sul, resultou em mais de 800 detidos, levando o caos ao serviço de entregas ao domicílio.

Para combater o uso de veículos elétricos sem licença, na cidade de Shenzhen, na China, as autoridades detiveram 800 pessoas

Para combater o uso de veículos elétricos sem licença, na cidade de Shenzhen, na China, as autoridades detiveram 800 pessoas

© China Stringer Network / Reut

Mais de 18.000 veículos foram confiscados pelas autoridades de Shenzhen, uma das cidades mais povoadas da China, segundo o jornal oficial Global Times.

A campanha, dirigida contra motociclos e veículos de três rodas, paralisou grande parte da atividade de restaurantes com serviço ao domicílio, firmas de transporte associadas ao comércio eletrónico e outros serviços locais.

A opção por aquele género de veículos é cada vez mais comum nas grandes cidades chinesas, mas muitos automobilistas e pedestres queixam-se do comportamento dos seus condutores.

Em Pequim, por exemplo, os frequentes acidentes causados por veículos elétricos resultaram na interdição da sua circulação em dez das principais avenidas da cidade, incluindo as que cruzam a praça central de Tiananmen.

Em 2015, a capital chinesa registou 113 vítimas fatais e 21.423 feridos entre os condutores de veículos elétricos, segundo estatísticas oficiais.

Em outras cidades grandes, como Xian (norte), Wuhan (centro) ou Haikou (sul), foram também impostas limitações à circulação daqueles veículos.

  • Francês detido em Antuérpia "queria matar"

    Mundo

    O Presidente de França François Hollande afirmou que o francês detido esta quinta-feira por conduzir um automóvel a grande velocidade na principal rua pedonal de Antuérpia, na Bélgica, "queria matar" ou "provocar um acontecimento dramático".

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27
  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.