sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 800 detidos em campanha contra veículos elétricos ilegais no sul da China

Uma campanha encetada pelas autoridades chinesas para combater o uso de veículos elétricos sem licença, na cidade de Shenzhen, sul, resultou em mais de 800 detidos, levando o caos ao serviço de entregas ao domicílio.

Para combater o uso de veículos elétricos sem licença, na cidade de Shenzhen, na China, as autoridades detiveram 800 pessoas

Para combater o uso de veículos elétricos sem licença, na cidade de Shenzhen, na China, as autoridades detiveram 800 pessoas

© China Stringer Network / Reut

Mais de 18.000 veículos foram confiscados pelas autoridades de Shenzhen, uma das cidades mais povoadas da China, segundo o jornal oficial Global Times.

A campanha, dirigida contra motociclos e veículos de três rodas, paralisou grande parte da atividade de restaurantes com serviço ao domicílio, firmas de transporte associadas ao comércio eletrónico e outros serviços locais.

A opção por aquele género de veículos é cada vez mais comum nas grandes cidades chinesas, mas muitos automobilistas e pedestres queixam-se do comportamento dos seus condutores.

Em Pequim, por exemplo, os frequentes acidentes causados por veículos elétricos resultaram na interdição da sua circulação em dez das principais avenidas da cidade, incluindo as que cruzam a praça central de Tiananmen.

Em 2015, a capital chinesa registou 113 vítimas fatais e 21.423 feridos entre os condutores de veículos elétricos, segundo estatísticas oficiais.

Em outras cidades grandes, como Xian (norte), Wuhan (centro) ou Haikou (sul), foram também impostas limitações à circulação daqueles veículos.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • Manifestações de apoio aos pais de Alfie impedidos de o levar para Itália
    3:03

    Mundo

    A justiça britânica rejeitou um novo recurso dos pais do bebé Alfie, que está em estado semivegetativo. O objetivo era levar o menino para Itália, para ser assistido numa unidade pediátrica no Vaticano. Os pais não querem que as máquinas sejam desligadas, mas os médicos defendem que os tratamentos são inúteis.