sicnot

Perfil

Mundo

Milhares manifestam-se no Peru contra candidatura de filha de Fujimori

galeria de fotos

Milhares de pessoas manifestaram-se no Peru contra a candidatura de Keiko Fujimori à presidência e para condenar o golpe de Estado do pai, o ex-presidente Alberto Fujimori, a 05 de abril de 1992.

© Guadalupe Pardo / Reuters

© Guadalupe Pardo / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

© Guadalupe Pardo / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

© Guadalupe Pardo / Reuters

© Enrique Marcarian / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

Representantes da Coordenadora Nacional de Direitos Humanos (CNDDHH) disseram à agência Efe que as manifestações, na terça-feira, em várias cidades do país, reuniram cerca de 50.000 pessoas, um número também avançado por membros do grupo civil "Keiko no va".

O secretário-executivo da CNDDHH, Jorge Bracamonte, disse que a manifestação em Lima foi realizada com a intenção de recordar que a partir do golpe de 1992 "perverteram-se todas as instituições do país".

No próximo dia 10 de abril, quase 23 milhões de peruanos vão eleger o Presidente e dois vice-presidentes do Peru para o período 2016-2021, assim como 130 congressistas e 15 representantes para o parlamento.

As mais recentes sondagens dão a vitória a Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000), com 35% das intenções de voto, seguindo-se Julio Guzmán (17%), o ex-ministro Pedro Pablo Kuczynski (11%) e César Acuña (8%).

O sistema político do Peru, onde o voto é obrigatório, tem por base um regime presidencialista com um mandato de cinco anos renovável, mas não de modo consecutivo, e um parlamento de câmara única.

O Tribunal Constitucional do Peru ratificou, em janeiro de 2015, a condenação a 25 anos de cadeia aplicada em 2009 ao antigo Presidente Alberto Fujimori por crimes contra a Humanidade.

Lusa

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • Avião divergiu para as Lajes devido a discussão a bordo

    País

    Um avião da companhia aérea British Airways divergiu hoje para o aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, devido a uma discussão a bordo entre um casal de passageiros e a tripulação, informou hoje a Força Aérea Portuguesa.

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e, a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.