sicnot

Perfil

Mundo

Milhares manifestam-se no Peru contra candidatura de filha de Fujimori

galeria de fotos

Milhares de pessoas manifestaram-se no Peru contra a candidatura de Keiko Fujimori à presidência e para condenar o golpe de Estado do pai, o ex-presidente Alberto Fujimori, a 05 de abril de 1992.

© Guadalupe Pardo / Reuters

© Guadalupe Pardo / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

© Guadalupe Pardo / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

© Guadalupe Pardo / Reuters

© Enrique Marcarian / Reuters

© Mariana Bazo / Reuters

Representantes da Coordenadora Nacional de Direitos Humanos (CNDDHH) disseram à agência Efe que as manifestações, na terça-feira, em várias cidades do país, reuniram cerca de 50.000 pessoas, um número também avançado por membros do grupo civil "Keiko no va".

O secretário-executivo da CNDDHH, Jorge Bracamonte, disse que a manifestação em Lima foi realizada com a intenção de recordar que a partir do golpe de 1992 "perverteram-se todas as instituições do país".

No próximo dia 10 de abril, quase 23 milhões de peruanos vão eleger o Presidente e dois vice-presidentes do Peru para o período 2016-2021, assim como 130 congressistas e 15 representantes para o parlamento.

As mais recentes sondagens dão a vitória a Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000), com 35% das intenções de voto, seguindo-se Julio Guzmán (17%), o ex-ministro Pedro Pablo Kuczynski (11%) e César Acuña (8%).

O sistema político do Peru, onde o voto é obrigatório, tem por base um regime presidencialista com um mandato de cinco anos renovável, mas não de modo consecutivo, e um parlamento de câmara única.

O Tribunal Constitucional do Peru ratificou, em janeiro de 2015, a condenação a 25 anos de cadeia aplicada em 2009 ao antigo Presidente Alberto Fujimori por crimes contra a Humanidade.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.