sicnot

Perfil

Mundo

Ativista crítico do islamismo espancado até à morte no Bangladesh

Um estudante de Direito que publicou um comentário contra o islamismo no Facebook foi assassinado no Bangladesh, no mais recente caso de ativistas ou autores de blogues laicos mortos no país, informou hoje a polícia.

Nazimuddin Samad, de 28 anos, será o quinto ativista, autor de blogue laico, a ser assassinados por radicais islâmicos no Bangladesh.

Nazimuddin Samad, de 28 anos, será o quinto ativista, autor de blogue laico, a ser assassinados por radicais islâmicos no Bangladesh.

Dhaka Tribune

Três atacantes golpearam Nazimuddin Samad na cabeça com um machete na noite de quarta-feira. "Quando ele caiu, um deles disparou uma pistola quase à queima-roupa. Morreu no local", afirmou o vice-comissário da polícia metropolitana de Daca, Syed Nurul Islam, à agência noticiosa AFP.

As autoridades suspeitam que Nazimuddin Samad, de 28 anos, fosse perseguido pelas suas declarações contra o islamismo e por ter defendido a pena capital contra os responsáveis por crimes de guerra, nomeadamente no conflito contra o Paquistão, na luta pela independência, em 1971.

Esta será a quinta morte de ativistas, autores de blogues laicos, que terão sido assassinados por radicais islâmicos.

Até agora nenhum grupo reivindicou o ataque. Sabe-se que após os autores da agressão gritaram "Alá é grande" enquanto fugiam os três numa só motorizada.

Amigos e colegas de Samad reuniram-se na Universidade de Jagannath, em Dhaka, onde o jovem frequentava o curso de Direito e onde tinha tido uma aula pouco antes do ataque. Consternados, os companheiros de Samad inundaram a sua página de Facebook com mensagens que espelham a indignação e revolta perante este bárbaro ataque.

"Isto é muito triste, estamos a ver como conseguiremos ajudar a família neste fase tão difícil", disse à Associated Press o reitor da universidade, Nur Mohammad.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52