sicnot

Perfil

Mundo

Primeiro-ministro da Ucrânia anuncia demissão na televisão

O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseni Iatseniuk, anunciou hoje a sua demissão num discurso transmitido pela televisão, menos de dois meses depois de ter sobrevivido a um voto de confiança no parlamento.

Primeiro-ministro da Ucrânia, Arseny Yatseniuk

Primeiro-ministro da Ucrânia, Arseny Yatseniuk

© POOL New / Reuters

"Tendo feito tudo o que pude para assegurar a estabilidade do país e construir uma transição tão calma quanto possível, decidi renunciar ao cargo de primeiro-ministro da Ucrânia", disse numa declaração transmitida pelos canais ucranianos, informou a agência de notícias Interfax.

Iatseniuk, que ocupava as funções há dois anos, sobreviveu a 16 de fevereiro a uma moção de censura, no mesmo dia em que o presidente Poroshenko pediu a sua demissão.

Segundo Arseni Iatseniuk, a sua demissão deverá ser ratificada na terça-feira pelo parlamento e o presidente Petro Poroshenko já designou o presidente do parlamento Volodymyr Groissman para lhe suceder.

Nos últimos meses o primeiro-ministro demissionário tinha vindo a ser fortemente criticado pela insuficiência das reformas prometidas e por alegadamente defender os interesses dos oligarcas.

Iatseniuk, 41 anos, defendeu hoje que as forças europeístas devem constituir uma nova coligação e formar um novo governo, que assegurou será apoiado pela sua Frente Popular.

"Há algo que não se pode permitir: a desestabilização do poder executivo em tempos de guerra. E essa perspetiva é inevitável após a demissão se não se escolher imediatamente um novo governo", salientou.

Defendeu ainda "uma nova legislação eleitoral, reformas constitucionais, uma reforma da justiça", reafirmando igualmente a vontade da Ucrânia conseguir a "integração na União Europeia e na NATO".

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.