sicnot

Perfil

Mundo

Primeiro-ministro da Ucrânia anuncia demissão na televisão

O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseni Iatseniuk, anunciou hoje a sua demissão num discurso transmitido pela televisão, menos de dois meses depois de ter sobrevivido a um voto de confiança no parlamento.

Primeiro-ministro da Ucrânia, Arseny Yatseniuk

Primeiro-ministro da Ucrânia, Arseny Yatseniuk

© POOL New / Reuters

"Tendo feito tudo o que pude para assegurar a estabilidade do país e construir uma transição tão calma quanto possível, decidi renunciar ao cargo de primeiro-ministro da Ucrânia", disse numa declaração transmitida pelos canais ucranianos, informou a agência de notícias Interfax.

Iatseniuk, que ocupava as funções há dois anos, sobreviveu a 16 de fevereiro a uma moção de censura, no mesmo dia em que o presidente Poroshenko pediu a sua demissão.

Segundo Arseni Iatseniuk, a sua demissão deverá ser ratificada na terça-feira pelo parlamento e o presidente Petro Poroshenko já designou o presidente do parlamento Volodymyr Groissman para lhe suceder.

Nos últimos meses o primeiro-ministro demissionário tinha vindo a ser fortemente criticado pela insuficiência das reformas prometidas e por alegadamente defender os interesses dos oligarcas.

Iatseniuk, 41 anos, defendeu hoje que as forças europeístas devem constituir uma nova coligação e formar um novo governo, que assegurou será apoiado pela sua Frente Popular.

"Há algo que não se pode permitir: a desestabilização do poder executivo em tempos de guerra. E essa perspetiva é inevitável após a demissão se não se escolher imediatamente um novo governo", salientou.

Defendeu ainda "uma nova legislação eleitoral, reformas constitucionais, uma reforma da justiça", reafirmando igualmente a vontade da Ucrânia conseguir a "integração na União Europeia e na NATO".

  • Rúben Lima nega crimes de corrupção no processo Cashball
    6:04

    Desporto

    Rúben Lima, um dos oito jogadores suspeitos de terem sido aliciados por intermediários ao serviço do Sporting para beneficiar o clube de Alvalade, nega todos os crimes investigados pela Polícia Judiciária. Numa entrevista exclusiva à SIC, o jogador do Moreirense garante que não conhece nenhum dos quatro arguidos detidos no âmbito do processo Cashball.

    Exclusivo SIC

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47