sicnot

Perfil

Mundo

Javalis multiplicam-se em Fukushima e continuam a contaminar a região

A região de Fukushima, onde há 5 anos ocorreu o pior desastre nuclear desde Chernobil, está a ser palco de fenómenos invulgares. A vida selvagem está a desenvolver-se de forma descontrolada, depois de meia década sem qualquer intervenção humana. Exemplo disso é a multiplicação da população de javalis. Na ausência de caça, os animais reproduziram-se rapidamente e alimentaram-se de plantas e animais contaminados.

© Chris Helgren / Reuters

O crescimento desmesurado do número de javalis está agora a causar diversos estragos e a contribuir para a contaminação de uma vasta área, dado que estes animais selvagens são também portadores de radiação.

De acordo com o The Sunday Times, a população de javalis passou de 3.000 para 13.000 em 2014, 3 anos depois do acidente nuclear. Este aumento do número de javalis está a ser um dos maiores problemas para o desenvolvimento da agricultura, causando elevados danos mesmo fora da zona de quarentena.

Os caçadores que agora voltam a perseguir e matar javalis, deparam-se com uma dificuldade. As carcaças destes animais, impróprios para consumo devido à radiação, têm obrigatoriamente de ser incineradas. As autoridades viram-se obrigadas a construir instalações próprias para o efeito, mas que são ainda manifestamente insuficiente para responder às necessidades.

A 11 de março de 2011 um terramoto de magnitude 9 na escala de Richter atingiu a costa nordeste da ilha de Honshu, a mais povoada do arquipélago do Japão, causando mais de 18 mil mortos e desaparecidos. As ondas gigantes atingiram a central nuclear de Fukushima Daiichi. As emissões e fugas radioativas provocadas pelo acidente impediram o regresso a casa de milhares de pessoas que viviam nos arredores da central.

  • Japão, EUA e França vão trabalhar juntos para desmantelar central nuclear de Fukushima

    Mundo

    Japão, Estados Unidos e França vão trabalhar juntos para desmantelar a central nuclear de Fukushima. Os três governos vão trabalhar para desenvolver as tecnologias necessárias para retirar o combustível fundido da central nuclear. Na sexta-feira, dia 11, fez cinco anos desde que um terramoto, seguido de um tsunami, provocou a pior crise nucelar desde Chernobil em 86. Em cinco anos foi concluído apenas 10 por cento do trabalho para desmantelar a central.

  • Fogos em OIeiros concentram mais meios

    País

    Os fogos em Oleiros, no distrito de Castelo Branco, são os mais preocupantes esta manhã para a Proteção Civil. São dois incêndios que mobilizam cerca de quinhentos bombeiros.

    Em atualização

  • Mulher muçulmana agredida por jovens em Madrid

    Mundo

    Uma mulher muçulmana de 38 anos ficou ferida depois de ter sido agredida por "dois ou três jovens" na quarta-feira junto à entrada da estação de metropolitano de Usera, em Madrid, disse hoje à Efe a Polícia Municipal.

  • Tufão Hato fez 16 mortos na China e Macau
    1:20
  • Festival EDP Vilar de Mouros começa hoje
    2:56

    Cultura

    Começa hoje o EDP Vilar de Mouros. O festival, que já tem mais 30% de bilhetes vendidos do que no ano passado, vai começar com a banda britânica The Veils. Capitão Fausto e Salvador Sobral são apenas dois dos nomes portugueses que vão marcar presença num evento que conta também com diversos artistas estrangeiros. A jornalista da SIC, Sílvia Lima Rato, falou com Paulo Ventura, da organização, e antecipa os destaques do cartaz do festival que decorre até sábado.

  • Porto Editora disponível para rever exercícios que possam ser discriminatórios
    2:16
  • Novo SUV da Volkswagen produzido na Autoeuropa
    1:09