sicnot

Perfil

Mundo

Javalis multiplicam-se em Fukushima e continuam a contaminar a região

A região de Fukushima, onde há 5 anos ocorreu o pior desastre nuclear desde Chernobil, está a ser palco de fenómenos invulgares. A vida selvagem está a desenvolver-se de forma descontrolada, depois de meia década sem qualquer intervenção humana. Exemplo disso é a multiplicação da população de javalis. Na ausência de caça, os animais reproduziram-se rapidamente e alimentaram-se de plantas e animais contaminados.

© Chris Helgren / Reuters

O crescimento desmesurado do número de javalis está agora a causar diversos estragos e a contribuir para a contaminação de uma vasta área, dado que estes animais selvagens são também portadores de radiação.

De acordo com o The Sunday Times, a população de javalis passou de 3.000 para 13.000 em 2014, 3 anos depois do acidente nuclear. Este aumento do número de javalis está a ser um dos maiores problemas para o desenvolvimento da agricultura, causando elevados danos mesmo fora da zona de quarentena.

Os caçadores que agora voltam a perseguir e matar javalis, deparam-se com uma dificuldade. As carcaças destes animais, impróprios para consumo devido à radiação, têm obrigatoriamente de ser incineradas. As autoridades viram-se obrigadas a construir instalações próprias para o efeito, mas que são ainda manifestamente insuficiente para responder às necessidades.

A 11 de março de 2011 um terramoto de magnitude 9 na escala de Richter atingiu a costa nordeste da ilha de Honshu, a mais povoada do arquipélago do Japão, causando mais de 18 mil mortos e desaparecidos. As ondas gigantes atingiram a central nuclear de Fukushima Daiichi. As emissões e fugas radioativas provocadas pelo acidente impediram o regresso a casa de milhares de pessoas que viviam nos arredores da central.

  • Japão, EUA e França vão trabalhar juntos para desmantelar central nuclear de Fukushima

    Mundo

    Japão, Estados Unidos e França vão trabalhar juntos para desmantelar a central nuclear de Fukushima. Os três governos vão trabalhar para desenvolver as tecnologias necessárias para retirar o combustível fundido da central nuclear. Na sexta-feira, dia 11, fez cinco anos desde que um terramoto, seguido de um tsunami, provocou a pior crise nucelar desde Chernobil em 86. Em cinco anos foi concluído apenas 10 por cento do trabalho para desmantelar a central.

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • 245 saltam de ponte de 30m no Brasil para Recorde do Guiness
    1:56
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.