sicnot

Perfil

Mundo

Oposição venezuelana marchará para exigir saída constitucional de Nicolás Maduro

A aliança opositora venezuelana Mesa de Unidade Democrática (MUD) convocou esta quarta-feira os venezuelanos para uma "mobilização nacional" para exigir a saída constitucional do Presidente Nicolás Maduro.

© Nacho Doce / Reuters

A marcha terá lugar no feriado de 19 de abril, dia em que os venezuelanos assinalam o aniversário da assinatura da ata de independência, que teve lugar a 19 de abril de 1810.

"Convocamos uma grande mobilização nacional para o próximo dia 19 de abril, para acelerar a mudança política, de forma pacífica, cívica e constitucional", disse aos jornalistas o porta-voz da MUD.

Segundo Freddy Guevara, com a mobilização os venezuelanos demonstrarão "a responsabilidade" de fazer o Governo entender que o país chegou ao "llegadero" (situação de crise total sem solução) e que o processo de câmbio "não tem volta atrás".

A mobilização, explicou, terá ainda como propósito exigir que as autoridades aceitem os mecanismos legais que permitam "precipitar" a saída do poder do atual chefe de Estado.

No passado dia 08 de março, a MUD anunciou o lançamento do processo para a realização de um referendo de revogação do mandato presidencial de Nicolás Maduro.

"Afastar Maduro é um passo, o nosso objetivo é construir uma Venezuela unida", afirmou o secretário executivo daquela aliança, Jesus Chuo Torrealba, acrescentando que a oposição vai avançar ainda com uma reforma constitucional para reduzir a duração do mandato presidencial de seis para quatro anos.

Segundo a oposição, antes do referendo sobre a revogação do mandato presidencial, a oposição vai aprovar uma "lei de referendos" para "impedir o bloqueio ou demoras neste mecanismo constitucional, que é um direito cidadão".

A oposição pretende eleger um novo Presidente para a Venezuela até finais de 2016.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19