sicnot

Perfil

Mundo

Televisão russa acusa crítico do Kremlin de ser espião, com provas "falsificadas"

A televisão estatal russa acusa um dos líderes mais destacados da oposição russa de ser espião ao serviço dos serviços secretos britânicos e norte-americanos. Mas as acusações baseiam-se em documentos, em inglês, com vários erros gramaticais, pelo que estão a ser classificados como falsificações.

Reuters

O canal de televisão russo Rossiya 1 emitiu no domingo passado uma reportagem segundo a qual o ativista anti-corrupção Alexei Navalny estaria a trabalhar há vários anos como agente do MI6. A televisão sustentou que Navalny terá sido recrutado entre 2006 e 2008, e pago de forma milionária pelos seus serviços através de uma organização de direitos humanos.

Navalny declina as acusações, chamando-as de "fantasias" e garante que vai processar a estação de televisão.

Os documentos que sustentam as acusações estão a gerar polémica. Supostamente, tratar-se-ão de documentos internos do MI6 e da CIA, mas contêm erros gramaticais de inglês tipicamente cometidos por pessoas de nacionalidade russa - razão pela qual são considerados falsificações.

Navalny é um ativista anticorrupção que emergiu como líder da oposição nos maiores protestos contra Putin desde que o presidente assumiu o poder em 2000. Foi condenado por duas vezes pela participação reiterada em manifestações não autorizadas.

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.