sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de pessoas manifestam-se contra Mugabe no Zimbabué

A oposição no Zimbabué reuniu hoje em Harare mais de 2.000 pessoas numa manifestação contra o presidente, Robert Mugabe, o maior protesto em quase uma década.

© Philimon Bulawayo / Reuters

Os manifestantes, convocados pelo Movimento para a Mudança Democrática (MDC), exigiram que o presidente faça "uma saída digna" do poder.

Robert Mugabe, 92 anos, está no poder desde a independência, em 1980, e já foi oficialmente designado candidato do seu partido, a Zanu-PF, às eleições presidenciais de 2018.

"Mugabe não tem solução para a crise. Estamos aqui para dizer a Mugabe e ao seu regime que falharam", disse aos manifestantes o líder do MDC, Morgan Tsvangirai.

Um importante dispositivo da polícia antimotim estava presente, mas os agentes não intervieram, ao contrário de protestos realizados no passado contra o presidente, frequentemente reprimidos pelas forças de segurança.

O Zimbabué atravessa uma grave crise económica há vários anos, num contexto de repressão da oposição e acusações de violações dos direitos humanos.

"Esta manifestação é contra a pobreza e contra a corrupção. Temos uma promessa vazia de 2,2 milhões de empregos que não existem e temos corrupção em massa", disse aos jornalistas um porta-voz do MDC, Douglas Mwonzora.

Lusa

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.

  • Trump acusa o procurador-geral dos EUA de ser fraco
    1:46