sicnot

Perfil

Mundo

Menina chora aos pés do Papa

Menina chora aos pés do Papa

Foram muitos os refugiados que quiseram cumprimentar o Papa, bem como pedir-lhe ajuda, no campo de Moria, na ilha grega de Lesbos, este sábado. Esta é uma das imagens que marcam a visita de Francisco, a de uma criança que lhe beija a mão e se ajoelha a seus pés, chorando compulsivamente.

O Papa Francisco visitou hoje o campo de refugiados de Moria na Ilha grega de Lesbos. Aos cerca de 2500 refugiados do campo pediu esperança e lembrou que não estão sozinhos.

"Caros amigos, quero dizer-vos que não estão sozinhos [...] Não percam a esperança", disse. "Vim aqui [...] simplesmente para estar convosco e ouvir as vossas histórias [...], para pedir ao mundo que dê atenção a esta grave crise humanitária e para implorar que ela seja resolvida", acrescentou.

Doze refugiados, de três famílias, seguiram viagem para o Vaticano com Francisco.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.