sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortos no Japão sobe para 35, muitas vítimas presas nos escombros

Os sismos que abalaram o sudoeste do Japão desde quinta-feira fizeram pelo menos 35 mortos, um balanço que pode aumentar porque há ainda muitos feridos presos nos escombros e a probabilidade de novas réplicas é elevada.

© KYODO Kyodo / Reuters

A região de Kumamoto, na ilha de Kyushu, foi abalada nas últimas 48 horas por uma série excecional de fortes tremores de terra que provocou derrocadas, incêndios e deslizamentos de terras.

"Sabemos que há pessoas debaixo dos escombros em vários locais. A polícia, os bombeiros e as forças de autodefesa [exército] estão a fazer tudo para as socorrer", disse o porta-voz do governo, Yoshihide Suga, numa conferência de imprensa.

Pelo menos mil pessoas sofreram ferimentos, 184 delas com gravidade, segundo as autoridades locais.

Mais de 90.000 residentes da região foram retirados, entre os quais 300 habitantes de uma zona ribeirinha, próxima de uma barragem em risco de ruir.

"Antes de mais temos de salvar vidas, temos de agir depressa", disse o primeiro-ministro, Shinzo Abe, que cancelou uma visita à zona e convocou um conselho de crise, depois de ordenar o destacamento de 20.000 militares para a região.

O último e mais forte sismo, de magnitude 7,3 na escala de Richter, ocorreu na madrugada de hoje e teve epicentro a 10 quilómetros de profundidade na costa ocidental da ilha de Kyushu, a mais ao sul das quatro principais ilhas japonesas.

Um primeiro sismo, de magnitude 7,0, ocorrido na quinta-feira na mesma zona, tinha feito dez mortos e 1.126 feridos e obrigado à retirada de 44.000 pessoas.

Desde o primeiro sismo registaram-se mais de 300 réplicas nas regiões de Kumamoto e Oita e, depois do segundo, 69, uma delas de magnitude 5,4, segundo a agência meteorológica japonesa.

A agência alertou para a probabilidade de novos sismos, alguns de elevada intensidade, e para o risco de novos deslizamentos de terras, tendo em conta a previsão de chuva forte durante o fim de semana na região.

Lusa

  • Mais de 10 réplicas sentidas após sismo de 7.0 no Japão
    2:47

    Mundo

    Um sismo no Japão fez hoje quatro mortos e cerca de 400 feridos. Dois abalos de magnitude acima dos 7.0 valores na escala de Richter atingiram ontem o sudoeste do país e levaram a que fosse emitido um alerta de tsunami. As equipas de socorro procuram vítimas entre os escombros da cidade de Kumamoto, a mais afetada pelos tremores de terra. Já depois dos dois tremores de terra foram registadas mais de 10 réplica.

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.