sicnot

Perfil

Mundo

Sobe para 41 o número de mortos provocados por sismos no Japão

As autoridades japonesas atualizaram o número de vítimas mortais provocadas pelos sismos que abalaram o sudoeste do Japão, apontando para um mínimo de 41 mortos, mas ainda há muitos feridos nos escombros e este número pode subir.

© KYODO Kyodo / Reuters

A região de Kumamoto, na ilha de Kyushu, foi abalada nas últimas 48 horas por uma série excecional de fortes tremores de terra que provocou derrocadas, incêndios e deslizamentos de terras.

"Sabemos que há pessoas debaixo dos escombros em vários locais. A polícia, os bombeiros e as forças de autodefesa [exército] estão a fazer tudo para as socorrer", disse o porta-voz do governo, Yoshihide Suga, numa conferência de imprensa.

Pelo menos mil pessoas sofreram ferimentos, 184 delas com gravidade, segundo as autoridades locais.

Mais de 90.000 residentes da região foram retirados, entre os quais 300 habitantes de uma zona ribeirinha, próxima de uma barragem em risco de rotura.

"Antes de mais temos de salvar vidas, temos de agir depressa", disse o primeiro-ministro, Shinzo Abe, que cancelou uma visita à zona e convocou um conselho de crise, depois de ordenar o destacamento de 20.000 militares para a região.

O último e mais forte sismo, de magnitude 7,3 na escala de Richter, ocorreu na madrugada de hoje e teve epicentro a 10 quilómetros de profundidade na costa ocidental da ilha de Kyushu, a mais ao sul das quatro principais ilhas japonesas.

Um primeiro sismo, de magnitude 7,0, ocorrido na quinta-feira na mesma zona, tinha feito dez mortos e 1.126 feridos e obrigado à retirada de 44.000 pessoas.

Desde o primeiro sismo registaram-se mais de 300 réplicas nas regiões de Kumamoto e Oita.

A agência alertou para a probabilidade de novos sismos, alguns de elevada intensidade, e para o risco de novos deslizamentos de terras, tendo em conta a previsão de chuva forte durante o fim de semana na região.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.