sicnot

Perfil

Mundo

Sobe para 41 o número de mortos provocados por sismos no Japão

As autoridades japonesas atualizaram o número de vítimas mortais provocadas pelos sismos que abalaram o sudoeste do Japão, apontando para um mínimo de 41 mortos, mas ainda há muitos feridos nos escombros e este número pode subir.

© KYODO Kyodo / Reuters

A região de Kumamoto, na ilha de Kyushu, foi abalada nas últimas 48 horas por uma série excecional de fortes tremores de terra que provocou derrocadas, incêndios e deslizamentos de terras.

"Sabemos que há pessoas debaixo dos escombros em vários locais. A polícia, os bombeiros e as forças de autodefesa [exército] estão a fazer tudo para as socorrer", disse o porta-voz do governo, Yoshihide Suga, numa conferência de imprensa.

Pelo menos mil pessoas sofreram ferimentos, 184 delas com gravidade, segundo as autoridades locais.

Mais de 90.000 residentes da região foram retirados, entre os quais 300 habitantes de uma zona ribeirinha, próxima de uma barragem em risco de rotura.

"Antes de mais temos de salvar vidas, temos de agir depressa", disse o primeiro-ministro, Shinzo Abe, que cancelou uma visita à zona e convocou um conselho de crise, depois de ordenar o destacamento de 20.000 militares para a região.

O último e mais forte sismo, de magnitude 7,3 na escala de Richter, ocorreu na madrugada de hoje e teve epicentro a 10 quilómetros de profundidade na costa ocidental da ilha de Kyushu, a mais ao sul das quatro principais ilhas japonesas.

Um primeiro sismo, de magnitude 7,0, ocorrido na quinta-feira na mesma zona, tinha feito dez mortos e 1.126 feridos e obrigado à retirada de 44.000 pessoas.

Desde o primeiro sismo registaram-se mais de 300 réplicas nas regiões de Kumamoto e Oita.

A agência alertou para a probabilidade de novos sismos, alguns de elevada intensidade, e para o risco de novos deslizamentos de terras, tendo em conta a previsão de chuva forte durante o fim de semana na região.

Lusa

  • Nuno Espírito Santo volta a desenhar no quadro
    6:54

    Desporto

    O treinador do FC Porto usou hoje de novo o marcador para desenhar e assim tentar explicar-se melhor. Foi na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Sporting de Braga. "Sei que isto vai ser motivo de brincadeira, crítica e análise", disse. "Não reparem no desenho, prestem atenção ao conteúdo".

  • "A frase que mais ouço quando digo que sou blogger é: 'Mas dá para viver disso?'"

    Web Summit

    É certo e sabido que a internet e as redes sociais abriram as portas a novas realidades laborais e sobretudo a oportunidades profissionais espalhadas um pouco por todo o mundo. Portugal não foge à regra e é cada vez mais uma parte desse todo, como o demonstra a organização da WebSummit para o triénio 2016-18. Foi precisamente por lá que encontramos a Sara Riobom, uma engenheira industrial convertida à blogosfera e a fazer vida disso mesmo.

    Martim Mariano